Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Rio Capital desafia a pandemia e investe 65 milhões em Portugal até 2022 em projetos imobiliários

Promotora imobiliária de origem brasileira chegou a Portugal há dois anos e tem vários projetos residenciais em desenvolvimento.

Assim será o Avenida Living, em Lisboa / Rio Capital
Assim será o Avenida Living, em Lisboa / Rio Capital
Autor: Redação

A Rio Capital, promotora imobiliária de origem brasileira que chegou a Portugal há dois anos, está a apostar forte no país, nomeadamente tendo em vista o aumento da oferta de projetos residenciais para a classe média portuguesa. O seu mais recente empreendimento chama-se Avenida Living e encontra-se nas Avenidas Novas, em Lisboa, num investimento de nove milhões de euros – são oito apartamentos de alto luxo com tipologias T3, T3 Duplex e T4 e uma loja. A empresa revela que vai investir 65 milhões de euros em imobiliário até 2022: 35 milhões este ano e 30 milhões no próximo. 

Sobre o Avenida Living, a empresa revela, em comunicado, que se trata de um projeto com a assinatura do arquiteto português Miguel Saraiva, do atelier Saraiva + Associados. Trata-se de um edifício localizado junto à Avenida da República e que nasce “a partir de uma reabilitação cuidada e de grande respeito pela sua memória e história, mas introduzindo toda a modernidade na construção e na funcionalidades dos espaços”. 

Avenida Living, em Lisboa / Rio Capital
Avenida Living, em Lisboa / Rio Capital

“Criei um conceito funcional e contemporâneo, sem alterar o cunho histórico do edifício, fazendo praticamente um apartamento/casa por piso e aumentando a exclusividade de quem vai ali habitar. Uma intervenção silenciosa, que valoriza o património existente através do seu restauro. Mais um edifício devolvido à cidade”, refere o arquiteto Miguel Saraiva.

Rio Capital em Portugal

Assumindo-se como uma promotora que tem como objetivo criar projetos para portugueses, a Rio Capital já desenvolveu no país, em dois anos, seis projetos, num volume total de aproximadamente 30.000 metros quadrados (m2) de construção. Até final deste ano vai investir 35 milhões de euros em imobiliário português e até 2022 prevê investir mais 30 milhões de euros.

Um dos projetos da empresa, neste caso já concluído e vendido, é o Cruz da Pedra Palace, um palacete do século XVII transformado em condomínio privado de luxo. É composto por 13 apartamentos com vista frontal para o rio Tejo e tem spa, piscina, ginásio e concierge, encontrando-se a poucos minutos do Chiado e da Avenida da Liberdade, em Lisboa.

Já o Vila Viva, um empreendimento em Vila Franca de Xira, encontra-se em construção, em consórcio com a promotora Estrutural Group, e terá 85 apartamentos. 

Projetos em vista

A Rio Capital está a preparar ainda o lançamento de outros projetos, nomeadamente um na área das residências de estudantes, com um novo conceito para estudantes portugueses, e que tem também a assinatura do arquiteto Miguel Saraiva. Terá 330 quartos individuais, todos com casa de banho, e vai nascer no Monte da Caparica.

Ainda este ano deverá “sair do papel” mais um empreendimento residencial na capital, em Alcântara, perto da LX Factory e do Hospital da CUF Alcântara. Serão cerca de de 40 apartamentos compactos entre T1 e T2.

Em Portugal para ficar

“O mercado imobiliário pode ter desacelerado com a pandemia, mas em nenhum momento parou, o que demonstra que Portugal é um país altamente seguro e atrativo para investimentos. Com todas as condições já amplamente reconhecidas como a posição geográfica, o clima e infraestruturas modernas e eficientes”, comenta Júlio Luz, CEO da Rio Capital, citado na nota enviada às redações.

Júlio Luz, CEO da Rio Capital / Rio Capital
Júlio Luz, CEO da Rio Capital / Rio Capital

Segundo o responsável, a Rio Capital está em Portugal para ficar e continuar a investir: “A Rio Capital desenvolve projetos com qualidade, focados no mercado português, não contando exclusivamente com os clientes estrangeiros. Seja para a classe média ou para as classes mais altas, os nossos projetos atingem uma relação preço/qualidade muito interessante que somados às localizações dos imóveis tornam-se imbatíveis. O resultado é gratificante, os lançamentos imobiliários da Rio Capital são vendidos rapidamente, como por exemplo o Vila Viva, que lançámos em março de 2020, em pleno início da pandemia, e dos 45 apartamentos da primeira fase já foram todos vendidos e para a segunda fase, dos 40 apartamentos, já vendemos 10”.