Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Há um World Trade Center a ganhar vida às portas de Lisboa

Empreendimento está a nascer em Carnaxide e deverá estar concluído até março de 2022, após investimento de 120 milhões.

Há um World Trade Center a ganhar vida às portas de Lisboa
World Trade Center
Autor: Redação

Aquele que será um dos maiores centros de negócios em Portugal, o World Trade Center (WTC), está a nascer em Carnaxide, Oeiras, às portas de Lisboa, e deverá estar concluído no primeiro trimestre de 2022. Representa um investimento de 120 milhões de euros e sai do papel pela mão do grupo promotor do Porto Foz Vintage. O WTC Foi oficialmente apresentado no dia 29 de julho, data em que se assinalou a inauguração do escritório modelo.

O WTC, conforme escrevemos, integra uma área total de 70.000 metros quadrados (m2) divididos em dois edifícios de escritórios, que totalizam 25.000 m2 e áreas de retalho com 4.000 m2. Os dois edifícios terão 8 pisos acima do solo, com pátios exteriores e um rooftop em cada edifício. Contará ainda com um hotel com capacidade para 127 quartos e cerca de 800 lugares de estacionamento subterrâneo e 200 no exterior. Já os espaços exteriores irão ocupar 10.000 m2 e incluem ciclovias, jardins e espaços verdes que permitem a prática de exercício físico. De referir ainda que o complexo vai ainda dispor de 1.700 m2 totalmente dedicados a retail.

Isaltino Morais desfaz-se em elogios ao projeto

A visita inaugural ao WTC contou com a presença de Isaltino Morais, presidente da Câmara Municipal de Oeiras (CMO), e de Vasco Fonseca, COO da Foz Vintage. Citado em comunicado, o autarca disse que “é motivo de enorme satisfação para Oeiras receber um complexo empresarial desta dimensão, com um caráter tão inovador”. 

“Oeiras Valley, a marca escolhida pela CMO para caracterizar o nosso território e o ecossistema de acolhimento empresarial, é cada vez mais a casa escolhida pelas empresas nacionais e internacionais para aqui sediarem a sua atividade, fruto das condições de excelência que o município tem para oferecer, a todos os níveis. O WTC encaixa na perfeição no projeto Oeiras Valley e neste ecossistema único que combina a inovação, a tecnologia e a sustentabilidade”, comentou.

World Trade Center está a nascer em Carmaxide
Isaltino Morais (ao centro), presidente da Câmara Municipal de Oeiras, durante a visita ao WTC / World Trade Center

WTC liga Lisboa a 90 geografias mundiais

Segundo o comunicado enviado ao idealista/news após a inauguração do escritório modelo, o WTC “vai ligar a capital portuguesa a cerca de 90 geografias em todo o mundo”. E mais: “Vem trazer, através de um conceito que combina inovação tecnológica, sustentabilidade e bem-estar, novas valências a este espaço, onde o segmento escritórios, a hotelaria, o retalho e o empreendedorismo se juntam, num lifestyle único, distinguindo-o de outros conceitos de business center desta zona do país”.
 
“O WTC vem dar resposta à procura crescente por espaços empresariais ajustados aos novos conceitos de trabalho que começam a emergir. É um espaço flexível, adaptável e evolutivo que vai agregar três grandes benefícios: plataforma de negócios sustentada em modelos que favorecem o sucesso empresarial, um workplace orientado para o futuro, para a tecnologia e para a produtividade e um ambiente que favorece um lifestyle focado na sustentabilidade e no bem-estar”, lê-se na nota.

Segundo a empresa, “o WTC pretende transmitir uma visão assente num modelo inteligente, criativo e colaborativo, onde os objetivos de negócio, o network empresarial, a tecnologia e a conveniência se conjugam”. 

"Um grande projeto"

Também citado no documento, Vasco Fonseca, considerou que está dado mais um passo na conclusão de um “grande projeto”. “É o momento em que começamos a ver materializados os aspetos únicos que caracterizam WTC e que respeitam a nossa visão, em termos de construção de obras emblemáticas e de elevada qualidade. Cada projeto é, por nós, cuidadosamente planeado e pensado para responder aos pressupostos estratégicos que nos definem. São eles, a inovação, o ambiente e as pessoas”, concluiu.

O responsável revelou, entretanto, e segundo escreve o Dinheiro Vivo, que 60% da área de escritórios do lote 2 do WTC já está ocupada por inquilinos “de grandes marcas”, tanto nacionais como internacionais. Escusou-se, no entanto, a avançar com nomes. 

De referir que a comercialização do WTC está a cargo das consultoras imobiliárias Cushman & Wakefield e Worx. Já o projeto arquitetónico do edifício tem a assinatura do atelier JQPV Arquitetos Associados.