Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Deco alerta: Quero comprar um equipamento para aquecer a casa. Tem de ter etiqueta energética?

Gtres
Gtres
Autor: Redação

A compra de equipamentos para aquecer a casa e a sua eficiência energética é o 71º tema da Deco Alerta. Destinada a todos os consumidores em Portugal, esta rubrica semanal é assegurada pela Deco - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor para o idealista/news.

Envia a tua questão para a Deco, por email para gcabral@deco.pt ou por telefone para 00 351 21 371 02 20.

Estou a pensar comprar um novo equipamento para aquecimento ambiente da minha habitação. É verdade que estes equipamentos já têm etiqueta energética, tal como acontece com outros eletrodomésticos?

É verdade. Desde o dia 26 de setembro de 2015 que a etiqueta energética passou a ser obrigatória na venda de novos produtos e sistemas de aquecimento ambiente e produção de águas quentes. O consumidor pode encontrar esta etiqueta nos pontos de venda.

É importante relembrar que para efetuar a escolha acertada, o consumidor deve comparar os diferentes equipamentos, em termos do consumo de energia e eficiência energética. As novas regras obrigam a que só sejam colocados à venda esquentadores, termoacumuladores, bombas de calor e sistemas solares térmicos, entre outros equipamentos, com etiqueta, e cujas classes de eficiência energética vão da G (menos eficiente) à A++ (mais eficiente).

Ao escolher a solução mais eficiente o consumidor poderá poupar na fatura de energia, dado que quanto menos energia consumir o equipamento, menores serão os custos de utilização. O ambiente também sai a ganhar, pois ao escolher um produto mais eficiente também se está a optar por um equipamento mais ecológico.

Para saberes mais sobre a etiquetagem energética de produtos e sistemas de aquecimento ambiente e produção de águas quentes podes visitar o site português do projeto LabelPackA+. Este é um projeto europeu desenvolvido no âmbito do programa Horizonte 2020, sendo implementado em Portugal pela ADENE – Agência para a Energia, Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor e APISOLAR – Associação Portuguesa de Energia Solar.