Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Famílias gastam 112 euros em energia e água por mês

Gtres
Gtres
Autor: Redação

As famílias gastam em média cerca de 112 euros por mês com a energia e água utilizadas em casa, sendo a eletricidade a que implica maior despesa. Segue-se o gás e a água, por esta ordem. Em causa estão dados que constam no estudo de mercado sobre a “Eficiência Energética na Habitação Particular”, realizado pela ADENE – Agência para a Energia, no âmbito prévio à Campanha de Sensibilização e de Promoção da Eficiência Energética na Habitação.

De acordo com o mesmo, a energia elétrica, por ser considerada a mais cara, é a que exige um maior esforço de poupança, sendo que duas em cada três famílias mostra-se atenta aos valores das suas faturas.

“Os eletrodomésticos e a iluminação são, na opinião das famílias inquiridas os grandes ‘responsáveis’ pelos custos refletidos na fatura energética. São equipamentos essenciais, de utilização permanente, dos quais não se pode abdicar. No que respeita à climatização, o aquecimento ambiente decorre de uma prática sazonal, relacionada também com as caraterísticas da casa/zona. Por sua vez, o arrefecimento é considerado um ‘luxo’ pelo seu elevado gasto energético”, refere a ADENE em comunicado.

Segundo o relatório, três em cada quatro dos inquiridos mostram preocupação com a temática da Eficiência Energética, ainda que na prática nem todos concretizem medidas efetivas para reduzir o consumo da forma mais racional. “Na base desta questão está a necessidade da redução das faturas de eletricidade, gás e água, sendo esta a principal motivação para 57% sentirem necessidade de alterar as suas práticas e rotinas de consumo energético e utilizarem a energia de uma forma mais eficiente e moderada”, lê-se no documento.

De referir, no entanto, que apenas 24% dos inquiridos diz estar sensibilizado com o efeito negativo que um consumo ineficiente da energia tem sobre o ambiente, resultando na escassez dos recursos naturais e na reduzida utilização de recursos renováveis.

O estudo permitiu ainda concluir que a implementação de soluções de eficiência energética na habitação é uma preocupação por parte de 19% dos inquiridos.

Entre as medidas de eficiência energética mais implementadas entre os inquiridos destacam-se a utilização de lâmpadas LED – 68% dos inquiridos diz que utiliza este tipo de lâmpadas –, a compra de eletrodomésticos mais eficientes (43%), a substituição de equipamentos eficientes de produção de água quente (28%) e a substituição as janelas por opções mais eficientes (20%). “Apenas 3% recorre às energias renováveis para produção de energia em casa”, conclui o estudo.