Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Trabalhar sem ir à empresa, nem ficar em casa: Avila Spaces cria novo modelo de trabalho híbrido

Flex Office é a nova solução apresentada pelo centro de negócios de Lisboa, como alternativa à sede das empresas e à casa dos colaboradores.

Avila Spaces
Avila Spaces
Autor: Redação

Num momento em que o teletrabalho continua na ordem do dia, sendo obrigatório devido à pandemia da Covid-19, mas com muitos trabalhadores a darem sinais de cansaço por estar a trabalhar em casa, o Avila Spaces, em Lisboa, vem apresentar uma nova proposta de espaço de trabalho, o Flex Office. Ou seja, um modelo de escritório flexível como alternativa aos escritórios da sede da empresa e à casa dos colaboradores.

"O Flex Office é a evolução da oferta que o Avila Spaces já tinha com o Business Lounge e o espaço de coworking e que agora permite tirar partido destes dois modelos de trabalho sem mais custos para os utilizadores", explica o centro de negócios em comunicado, detalhando que se baseia numa oferta de espaços de trabalho que podem ser subscritos de acordo com as necessidades dos utilizadores, inclusive com a compra de um passe pré-pago de acesso ao Business Lounge do Avila que, por 15 euros, permite usar este espaço durante dez dias, em regime de hostdesking. A alternativa a este passe é uma subscrição mensal de 150 euros que dá acesso ao espaço durante todos os dias úteis da semana, das 8 às 20 horas.

"Esta pandemia fez com que as pessoas vivessem afastadas umas das outras, mas veio reforçar o espírito de comunidade e colaboração. O Avila Spaces assume-se, assim, como um escritório satélite entre estas duas realidades, que volta a aproximar as pessoas num ambiente seguro e com vários serviços premium incluídos", diz Carlos Gonçalves, CEO do Avila Spaces, citado na mesma nota.

Avila Spaces
Avila Spaces

Quais as vantagens do Flex Office?

Com a entrada no cowork e no Business Lounge, estão também garantidos (sem mais custos) o acesso a salas de reunião, phone boots privadas, sala de videoconferência, copa (com bebidas, fruta e snacks gratuitos) e terraço. O acesso à rede Wi-Fi, o serviço de recepção e a limpeza estão incluídos no preço.

No Flex Office podem ainda ser subscritos postos fixos de trabalho (250 euros/mês), escritórios privados para até oito colaboradores (a partir de 550 euros por mês) e aluguer de salas de reunião até 24 pessoas (a partir de 13 euros/hora). Todos os modelos não obrigam a qualquer período de fidelização e podem ser cancelados em qualquer altura. Neste modelo de trabalho híbrido e flexível, os utilziadores pagam apenas os serviços que utilizam, podendo combinar salas privativas com espaços de cowork e salas de reunião.

"Espaço de cowork, salas de reunião, phone boots individuais, salas para videoconferência, copa, terraço, lounge e escritórios privados que podem ser usados numa base muito flexível. Este modelo híbrido de trabalho é mais económico, na medida em que permite uma redução de 70% dos custos, considerando o custo por colaboradores num escritório no centro de Lisboa. Espaços como o nosso contribuem para voltar a ligar as pessoas", afirma Carlos Gonçalves.

Fundado em 2004, o Avila Spaces conta atualmente com mais de 600 clientes nacionais e internacionais e é membro e representante em Portugal da maior rede de centros de negócios do mundo, a eOffice International Network. Esta rede tem mais de 300 localizações e é gerida a partir do Reino Unido.

O Avila Spaces tem as suas instalações em Lisboa, na Avenida da República e na Avenida João Crisóstomo. Recentemente foi distinguido com o prémio de ‘Best Coworking Space’, nos South Europe Startup Awards (referentes ao Sul da Europa).