Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa: está a nascer uma zona de lazer em Marvila junto ao rio

Diário Imobiliário
Diário Imobiliário
Autor: Redação

Lisboa vai ter, a partir da primavera de 2018, um novo parque verde e de lazer junto ao rio Tejo em Marvila. “A ideia é que o parque comece a ser construído no outono deste ano para estar pronto na primavera do próximo”, disse o vereador do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa (CML), Manuel Salgado.

O responsável adiantou que o parque em causa será “maior do que o Jardim da Estrela”. “Não há muitos parques nas margens do rio e, de facto, faz todo o sentido, porque Marvila tem uma frente de rio pronta para ser usufruída", referiu Salgado, citado pela Lusa.

Em causa está a criação do Parque Ribeirinho Oriente, que visa reconverter a área da Matinha, Braço de Prata e Doca do Poço do Bispo em zonas de lazer. Em janeiro de 2015, a autarquia aprovou, por unanimidade, o lançamento de um concurso de ideias para projeção deste parque. O concurso acabou por ser anulado devido a "questões formais" relacionadas com as candidaturas, mas lançou-se um novo procedimento e, neste momento, "o projeto está pronto para ser executado", revelou Manuel Salgado.

Segundo a proposta aprovada há dois anos, o objetivo é “reconverter uma vasta área de território marcada pelos usos de caráter industrial e portuário, resgatando-a para fruição do público em geral como zona de lazer, atividade desportiva e de enquadramento paisagístico”.

O documento acrescentava que o parque se insere numa “nova área urbana definida pelo loteamento dos Jardins de Braço de Prata e pelo Plano de Pormenor da Matinha, dando continuidade à regeneração iniciada pela realização da Expo98 e da criação do Parque das Nações”.

De referir que ao todo o projeto está orçado em 3.850.000 euros, sendo que para já apenas avança a primeira fase do projeto, que será concretizada pelo promotor do loteamento dos Jardins de Braço de Prata. “O promotor assumiu o compromisso de executar essa fase e decidiu contratar a equipa que tinha selecionada no concurso de ideias”, adiantou o vereador do urbanismo.

Antigo Aquaparque vai reabrir como jardim

Entretanto, a autarquia anunciou que, “em breve”, uma “parte substancial” do antigo Aquaparque, em Monsanto, será aberta ao público com jardim e parque infantil. “Estamos neste momento a instalar um parque infantil. A renaturalização do terreno, na sua grande maioria, está feita e em breve uma parte substancial do antigo Aquaparque será aberta ao público”, disse o vereador da Estrutura Verde, José Sá Fernandes.

Falando na Escola Secundária Marquês de Pombal, na reunião descentralizada do município (destinada a ouvir munícipes de Belém, da Ajuda e de Alcântara), o autarca indicou que apresentará em breve uma proposta com um projeto de requalificação para a outra parte do Aquaparque que continuará encerrada.

De referir que o parque aquático encerrou em 1993 após a morte de duas crianças, não tendo tido utilização posterior.