Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Concursos de obras públicas continuam a ser lançados a um ritmo muito superior aos contratos celebrados

Autor: Redação

Os concursos de empreitadas de obras públicas quase duplicaram num anocontinuam a ser lançados a um ritmo muito superior à celebração de contratos. Só este ano foram promovidos concursos num valor que é o triplo do total dos contratos celebrados: o diferencial é de 1,1 mil milhões.

A Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN) considera que não há praticamente “obras de média ou grande dimensão”. Só há dez empreitadas acima de cinco milhões de euros (foram 40 em 2014) e duas delas são de empreendimentos hoteleiros, escreve o Dinheiro Vivo.

Para Reis Campos, presidente da AICCOPN, o mercado está de facto a recuperar, mas ainda está muito aquém dos seus valores habituais: “Foram lançados, até julho, concursos de obras públicas no valor de 1.728 milhões de euros, praticamente o dobro face ao ano anterior, mas é preciso ter em conta que o mercado atingiu mínimos históricos no primeiro semestre de 2016. E que estamos muito longe dos 4,2 mil milhões de euros dos anos de 2007 e 2008”.

O responsável frisou que, apesar do crescimento do investimento em construção, os valores “são, ainda, pouco mais que residuais”. O valor dos contratos públicos celebrados, até julho, foi de, apenas, 626 milhões de euros. E, mesmo assim, 70% acima dos primeiros sete meses de 2016.

Citado pela publicação, o líder da associação lamentou que PS e PSD “persistam na casmurrice política” e não se entendam no que diz respeito ao investimento estruturante para o país. “O primeiro-ministro diz que pretende obter um ‘pacto’ com o PSD para o investimento estruturante. O anterior governo, liderado pelo PSD, aprovou o Plano Estratégico dos Transportes e das Infraestruturas, o PETI 3+, objeto de largo consenso na sociedade portuguesa. Se o PSD estivesse no governo teria feito essas obras, então qual é a dificuldade em que os dois partidos se entendam?”, questionou.