Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Inversão do ciclo? Obras públicas disparam e reabilitação urbana contrai

Unsplash
Unsplash
Autor: Redação

O nível de Atividade na Reabilitação Urbana diminuiu 17,1% em agosto, em termos homólogos trimestrais. Já a Carteira de Encomendas aumentou 15,4%. Em causa estão dados do barómetro da Reabilitação Urbana da Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN). No que diz respeito ao lançamento de concursos de obras públicas, duplicaram para máximos de 2011.

Segundo a AICCOPN, a evolução da Carteira de Encomendas, que foi de 15,4% em agosto em termos homólogos trimestrais, “traduz um abrandamento do ritmo registado nos últimos três meses”.

“A Produção Contratada em meses, ou seja, o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, fixou-se em 6,6 meses, o que traduz uma redução de um mês face ao observado em agosto de 2016”, lê-se no site da entidade.

idealista/news / AICCOPN
idealista/news / AICCOPN

Obras públicas em alta

Entretanto, o ritmo de lançamento de concursos e de celebração de contratos de obras públicas manteve-se elevado em agosto. Entre janeiro e agosto, “o total de concursos de empreitadas de obras públicas promovidos atingiu os 2.108 milhões de euros, um crescimento de 105% face ao verificado em 2016”, refere a AICCOPN, salientando que “é a primeira vez que se supera a barreira dos dois mil milhões, desde 2011, ano em que se registou o lançamento de concursos no valor de 2.730 milhões de euros, no cômputo do ano”.

Relativamente aos contratos celebrados e reportados no Observatório das Obras Públicas no âmbito de concursos públicos até final de agosto, ascendem a 739 milhões de euros, mais 69% que nos primeiros oito meses do ano passado. “Esta evolução, apesar de positiva, fica muito aquém do que se verifica ao nível dos concursos promovidos, pelo que o diferencial entre ambos ascende já a 1.369 milhões de euros”, conclui a AICCOPN.

Já os contratos celebrados na sequência de ajustes diretos, somam 475 milhões de euros, mais 41% face a 2016. O total de contratos celebrados e reportados atingiu os 1.292 milhões de euros, ou seja, apresentam uma variação positiva de 52% em termos homólogos.