Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Nacala Holdings prossegue política de aquisições e compra Ramos Catarino

Clem Onojeghuo/Unsplash
Clem Onojeghuo/Unsplash
Autor: Redação

A Nacala Holdings, liderada por Gilberto Silveira Rodrigues – ex-diretor da Mota-Engil –, adquiriu 100% do capital do Grupo Ramos Catarino. O objetivo será o de manter os cerca de 30 milhões de faturação em Portugal e promover o crescimento no estrangeiro. O Grupo, dono da Elevo, quer prosseguir a “política de diversificação, consolidação e  crescimento” das empresas "à escala global".

Com esta aquisição, cujos valores não foram revelados, o Grupo “passa a contar no seu portfólio com uma empresa de construção especializada e com provas dadas na reabilitação urbana de elevada capacidade técnica”, lê-se no comunicado divulgado.

A Nacala Holdings já é detentora da Elevo, – está envolvida num conflito que a poderá afastar de duas empreitadas na Zâmbia – desde setembro de 2017, e da Opway, que comprou em dezembro do ano passado. Com a nova transação, o Grupo considera que atingiu “um grau de especialização único em Portugal com know-how, capacidade operacional e inovação em todos os ramos da engenharia e da construção”.

Gilberto Silveira Rodrigues disse à Lusa que chegaram à conclusão que existe “um nicho de mercado enorme que tem a ver com a reabilitação urbana, com o número de hotéis que se constroem em Portugal e que é preciso fazer fit-out (mobilar)”, isto é, áreas onde a Ramos Catarino opera, faturando cerca de 30 milhões de euros por ano – valor esse que a Nacala Holdings pretende manter.

De recordar que em março deste ano, os irmãos Vítor e Jorge Catarino readquiriram uma participação de 75% na empresa ao Fundo Vallis, regressando assim ao grupo que em 2016 tinha passado a ser gerido pela estrutura criada para a recuperação de empresas do setor da construção. “Pouco mais de dois meses e meio depois, a família Catarino chegou a acordo com a Nacala Holdings, detida por Gilberto Rodrigues e Pedro Antelo, respetivamente CEO e CFO do Grupo Elevo, para a alienação da totalidade do capital do grupo”, refere ainda o comunicado.