Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Concursos de obras públicas sobem 79% em ano de eleições

Guilherme Cunha/Unsplash
Guilherme Cunha/Unsplash
Autor: Redação

Nos primeiros quatro meses do ano, o volume de concursos públicos de empreitadas anunciados em Diário da República atingiu os 1.469 milhões de euros, mais 79% que no período homólogo. 2019 é ano de eleições em Portugal. O calendário arranca no próximo domingo, dia 26 de maio, com as europeias, e segue no dia 6 de outubro com as legislativas, para a escolha do novo Governo.

Uma “variação positiva” que se deve-se ao “lançamento de 14 concursos de valor superior a 10 milhões de euros, os quais representam mais de metade (51%) do total registado ao longo dos quatro primeiros meses do ano”, conclui a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN).

Relativamente ao total dos contratos celebrados no âmbito de concursos de empreitadas de obras públicas, atingiu, entre janeiro e abril, “455 milhões de euros, valor que é praticamente igual ao verificado em 2018”. 

“Já no que diz respeito aos contratos de empreitadas celebrados em resultado de Ajustes Diretos e Consultas Prévias, assiste-se a uma forte quebra, de 49% em termos homólogos, para um total de apenas 87 milhões de euros. Globalmente, os contratos de empreitadas de obras públicas celebrados situaram-se nos 589 milhões de euros, menos 12% que o verificado em igual período de 2018”, conclui a AICCOPN, no Barómetro das Obras Públicas de maio.

Reabilitação urbana cresce, mas menos

Noutro documento, no Barómetro da Reabilitação Urbana de maio, a entidade revela que o índice de atividade neste segmento cresceu 11,5% em abril face ao mesmo mês do ano passado. Trata-se de um aumento homólogo inferior ao verificado em março (14,3%). 

Sobre a carteira de encomendas, cresceu 13,6% em termos homólogos e registou uma redução de 0,9% em termos mensais.

“Quanto à produção contratada em meses, ou seja o tempo assegurado de laboração a um ritmo normal de produção, foi apurado um prazo médio ponderado de 7,6 meses, em abril, o que representa uma redução em termos homólogos de 5,9% face aos 8 meses apurados no mês de homólogo de 2018”, conclui a AICCOPN.