Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Autarquias de Lisboa, Oeiras e Loures aprovam protocolo para estudar metro de superfície

Caberá ao Metropolitano de Lisboa desenvolver, no prazo de 14 meses, os estudos prévios a avaliação da viabilidade e a conceção do projeto.

Câmara Municipal de Lisboa (CML)
Câmara Municipal de Lisboa (CML)
Autor: Redação

As autarquias de Lisboa, Oeiras e Loures aprovaram o protocolo de cooperação que visa dar início aos estudos de viabilidade do projeto do metro de superfície que ligará estes municípios. Esta proposta para a elaboração dos estudos de viabilidade do projeto terá, nesta fase, um custo total de cerca de 3,3 milhões de euros.

A Câmara Municipal de Oeiras irá suportar um investimento de cerca de 503 mil euros para os estudos prévios, sendo que maior fatia caberá ao município de Lisboa, que contribuirá com 1,6 milhões de euros. Já o município de Loures irá investir cerca de 1,2 milhões de euros, segundo a Lusa.

De acordo com a proposta aprovada pela autarquia da capital, a que a Lusa teve acesso, “competirá ao Metropolitano de Lisboa desenvolver, no prazo de 14 meses, os estudos prévios a avaliação da viabilidade e a conceção do projeto, atendendo a que esta entidade já desenvolveu estudos da mesma natureza no contexto do plano de expansão em curso da rede de metropolitano e à complementaridade destes trabalhos”.

“Através da celebração deste protocolo, todos os intervenientes assumem o compromisso mútuo de, concertadamente, desenvolverem todos os esforços necessários ao planeamento e coordenação do projeto”, sublinha o comunicado da Câmara de Oeiras.

Para Bernardino Soares, citado no site da autarquia, o protocolo aprovado por unanimidade em reunião da Câmara “é um passo muitíssimo importante, porque tem o compromisso de um conjunto de entidades” e “dá a garantia de que não haverá um recuo”.

No comunicado enviado há uma semana, os municípios referem que a obra para a construção do metro de superfície representa um investimento de cerca de 490 milhões de euros. A nova linha terá uma extensão de cerca de 24,4 quilómetros e fará as ligações entre Cruz Quebrada (Oeiras) e Alcântara (Lisboa) e entre Santa Apolónia (Lisboa) e Sacavém (Loures).