Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Salários de trabalhadores da construção subiram na pandemia

Pela primeira vez, valor médio mensal superou os mil euros. Melhoria registou-se na generalidade das profissões do setor.

Photo by Kemal Kozbaev on Unsplash
Photo by Kemal Kozbaev on Unsplash
Autor: Redação

Ainda que tenha sido um dos setores mais fustigados por surtos de Covid-19 - fruto de que a atividade nunca tenha parado (e algumas das regras de segurança e prevenção tenham sido descuradas durante algum tempo), a construção - a par do imobiliário - tem sido um dos motores da economia nacional durante a pandemia, evitando que a crise seja ainda pior. E durante este período, os trabalhadores do setor das obras assistiram a uma melhoria nas condições salariais. Pela primeira vez, em termos médios, os salários ultrapassaram os mil euros mensais. 

Este valor, registado numa altura em que várias empresas do país estavam paradas, representa um aumento de 4,1% face ao mesmo período do ano anterior, segundo revela o ECO. O jornal, com base em dados do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, concretiza que o valor médio da taxa de salário mensal foi de 1.000,1 euros no quarto mês do ano, o que se traduz numa subida de 0,3% em relação a janeiro, frisando que a tendência de subida dos salários médios verificou-se em todas as profissões do setor.

Os aumentos mais expressivos registaram-se nos casos de operadores de máquinas de escavação, terraplenagem, de gruas e similares (6,5%), motoristas de veículos pesados de mercadorias (5%) e canalizadores (5%). Cerca de 40% dos profissionais no setor são pedreiros e trabalhadores não qualificados de engenharia civil e de construção de edifícios, categorias que viram aumentos homólogos de 4,8% e 3,5%.

Neste contexto, e tal como aponta o diário online, as profissões de caráter manual viram também o trabalho ser mais bem remunerado. O salário mensal médio para estes trabalhadores, ou seja, excluindo os engenheiros civis e os encarregados de construção, foi de 873,5 euros, mais 3,9% do que o mesmo período do ano passado.

Qual a profissão do setor mais bem paga? E a pior?

Com as diferenças entre as qualificações, a discrepância entre os salários das profissões no setor acaba por ser grande. O salário do trabalhador mais bem pago é mais do dobro daquele que recebe menos. Enquanto o salário mensal do engenheiro civil se aproxima dos dois mil euros, fixando-se nos 1.916,5 euros, o do trabalhador não qualificado de engenharia civil e de construção de edifícios é de 813,6 euros.

remuneração média dos trabalhadores portugueses, em termos globais, também subiu, no segundo trimestre deste ano, embora tenha desacelerado, penalizado pelo regime de lay-off a que muitas empresas aderiram. Fixou-se nos 1.326 euros, nos meses de abril a junho, mais 1,6% do que no mesmo período do ano passado, segundo os dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística e citados pelo ECO.