Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Opway disputada por quatro construtoras

Autor: Redação

O Grupo Espírito Santo (GES), principal acionista da Opway, contactou 13 potenciais interessados na empresa. Mas no final restam apenas quatro candidatos na corrida à construtora: Soares da Costa, Zagope, Somague, Prébuild, Vallis, Nadhari.

As grandes construtoras, nacionais, espanholas, brasileiras e angolanas, contactadas pela Espírito Santo Industrial declinaram entrar na corrida à compra da Opway, segundo noticia o Diário Económico.

O GES iniciou o processo a 20 de outubro, enviando uma carta aos presidentes dos conselhos de administração de algumas das maiores construtoras a operar em Portugal.

De acordo com jornal, receberam convite para apresentar propostas sobre a Opway a Mota-Engil, Teixeira Duarte, Soares da Costa (controlada pelo empresário angolano António Mosquito), Somague (cujo principal acionista é a construtora espanhola Sacyr), Zagope (do grupo brasileiro Andrade Gutiérrez), Odebrecht Portugal (outro grupo brasileiro), Prébuild, Vallis Elevo (um fundo de recuperação de construtoras), FCC (construtora espanhola liderada por Esther Koplowitz), Ferrovial (outro grupo espanhol) e a Nadhari (uma construtora moçambicana), além da operação de Management Buy Out (MBO), liderada pelo presidente da construtora, Almerindo Marques, e por dois colegas seus da administração.

Mas só a Prébuild, o fundo Vallis e o líder do MBO, Almerindo Marques, é que entregaram propostas para a aquisição da Opway.

Não existem datas pré-definidas a tomada de decisão sobre o comprador da construtora, mas a expetativa no mercado é que o processo seja resolvido rapidamente, dadas as dificuldades do GES.

A venda da Opway, parqueada na Espírito Santo Industrial, está a ser liderada por Caetano Beirão da Veiga, novo presidente do GES. Mas os juízes do Luxemburgo, que presidem à insolvência das ‘holdings' do GES, têm a palavra final sobre o processo.

A Opway é uma empresa nascida em 2008, resultante da fusão entre a OPCA e a Sopol, adquirida pela primeira empresa ao Grupo A. Silva & Silva. Almerindo Marques transitou da presidência da Estradas de Portugal para a liderança da Opway, que assumiu em junho de 2011. Desde aí, Almerindo iniciou um profundo processo de reestruturação da empresa.