Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Fundo COVIVIR quer atrair capital de África através dos vistos gold

O objetivo passa por captar 150 milhões de euros para investir em formas de habitação partilhada em Portugal e na Europa.

Residências dse estudantes em Portugal
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels
Autor: Redação

A Tabah Capital e a Optime Investments estão a definir os últimos trâmites do seu novo veículo de investimento que ainda aguarda a aprovação do regulador: o fundo COVIVIR. E já decidiram que um dos objetivos passa por atrair investidores africanos através dos vistos gold para assim captar 150 milhões de euros.

Este fundo foi criado com o objetivo de investir em formas de habitação partilhada como é o alojamento de estudantes, unidades de coliving e residências sénior. Tipos esses que segundo Alexis Delprat, CEO do Tabah Capital, saíram reforçados com a pandemia e estão cada vez mais na mira dos investidores, cita o Jornal de Negócios.

A apresentação do fundo aos potenciais investidores já está a ser preparada, num momento em que ainda se aguarda a luz verde final da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que deverá ocorrer até outubro acredita Alexis Delprat.

E a quem vai ser apresentando este fundo? A pequenos investidores, que procuram aceder aos vistos gold, como a investidores institucionais, que procuram retornos com dois dígitos, segundo explicaram em comunicado enviado às redações em julho de 2021.

Ao mesmo jornal, o CEO da Tabah Capital esclarece que o seu principal alvo são os investidores africanos, sobretudo, os oriundos de Países Africanos de Língua Portuguesa (PALOP). Ainda assim, assume que também “ficaremos contentes em ter clientes da China e da África do Sul”.

Residências de estudantes em Portugal
Foto de Ketut Subiyanto no Pexels

Onde vai investir?

Os objetivos de investimento são vários e as diretrizes gerais já estão bem definidas. O primeiro investimento fundo será na nova residência de estudantes que a Tabah Capital está a desenvolver no campus universitário da Asprela e que irá disponibilizar 500 unidades aos estudantes do Porto.

Em Portugal, há outros projetos na mira. O gestor avançou que o fundo deverá apostar em mais residências de estudantes e espaços de coliving sobretudo no Porto e em residências sénior no Algarve, cita o Jornal de Negócios.

Além-fronteiras, o fundo COVIVIR também deverá investir pela Europa perseguindo o objetivo de ser um dos ‘principais’ investidores a apostar em residências para estudantes e em coliving nas capitais da União Europeia, lê-se mesmo comunicado. O objetivo da Tabah Capital passa por criar um portfólio de 3.000 quartos nos próximos dois anos.

Residências sénior em Portugal
Foto de Andrea Piacquadio no Pexels