Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ocupação de escritórios em Lisboa cresce 40% num ano

Nova sede do Bankinter em Portugal, no edifício Marquês de Pombal 13. / JLL
Nova sede do Bankinter em Portugal, no edifício Marquês de Pombal 13. / JLL
Autor: Redação

Entre janeiro e abril foram transacionados em Lisboa 54.054 m2 de espaços de escritórios, mais 40% que no período homólogo. Nestes quatro meses, foram concluídas 87 operações, com uma área média de 621 m2. Só em abril a absorção de escritórios atingiu os 10.404 m2, mais 68% que no mesmo mês do ano passado (e menos 14% que em março).

Segundo dados que constam no último Office Flashpoint da consultora imobiliária JLL, que registou uma quota de mercado de 42% no acumulado do ano, 23 das 87 operações feitas foram fechadas em abril, traduzindo uma área média transacionada de 452 m2.

“Em abril foram fechadas quatro operações envolvendo áreas superiores a 1.000 m2, nomeadamente a expansão de cerca de 3.300 m2 do BNP Paribas na Torre Ocidente, a entrada da consultora Hiscox na cidade de Lisboa, onde ocupa agora 1.034 m2 no Atrium Saldanha, a expansão de 1.005 m2 dos escritórios da Regus no Lagoas Park e a ocupação pela BOSE de 1.042 m2 no edifício Defensores de Chaves 45”, lê-se no comunicado da JLL.

Em termos geográficos, o Corredor Oeste continua a ser a zona mais dinâmica do mercado de escritórios (30% do total), logo seguido do Prime CBD (24% do total).

No que diz respeito à procura, o setor de Serviços Financeiros está na liderança, sendo responsável por 19% da área ocupada no acumulado e por 32% da área ocupada em abril. “O podium do primeiro quadrimestre fica completo com os setores TMT’s & Utilities (18%) e das Farmacêuticas e Saúde (17%)”, refere a JLL.