Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

censos: há quase dois milhões de casas vazias

portugal registou em março a quarta quebra mais acentuada na europa
Autor: Redação

nos últimos dez anos, a construção de alojamentos disparou 16,3%, um número bastante superior ao do crescimento da população (1,9%). segundo o expresso, que se baseia nos dados do censos, há quase 5,9 milhões de fogos para pouco mais de quatro milhões de famílias. o algarve e a madeira são as regiões onde se verificou um maior aumento na construção: sete dos dez concelhos com crescimento do número de alojamentos superior a 40% encontram-se nestas duas regiões (porto santo, santa cruz, portimão, tavira, albufeira, lagos e vila real de santo antónio)

segundo o censos, 68 municípios perderam mais de 10% de habitantes desde 2001. ainda assim, em 60 municípios as empresas de construção continuaram a trabalhar, erguendo casas onde, provavelmente, ninguém vai viver. só em 11 dos 308 concelhos analisados, a construção imobiliária se retraiu, registando um crescimento negativo face a 2001. desde essa altura, surgiram no país mais 391 mil prédios e cerca de 825 mil fogos

de acordo com a associação dos profissionais e empresas de mediação imobiliária de portugal (apemip), está prevista a construção, este ano, de mais 17 mil fogos, face aos 120 mil construídos em 2000. ainda assim, o presidente da associação, luís lima, referiu que não há construção a mais no país. "quando se analisa o crescimento do número de alojamentos é preciso ter em conta as segundas habitações e os imóveis devolutos que se deterioraram e já não têm condições de habitabilidade. se retirarmos esses dois casos, a construção acompanhou o número de famílias", frisou, citado pelo expresso