Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Maioria dos jovens portugueses não consegue comprar ou arrendar casa

Tim Gouw/Unsplash
Tim Gouw/Unsplash
Autor: Redação

Nem comprar, nem arrendar casa. Esta é a realidade dos jovens em Portugal, que estão longe de conseguir suportar os custos de habitação praticados. Os empregos precários, contratos irregulares, salários baixos e preços elevados estão na origem do problema, segundo um relatório da Cáritas Europa.

"Os preços da habitação em Portugal, quando comparados com a média dos valores dos rendimentos, são desproporcionados. Os jovens precisam de um futuro", refere o estudo, citado pela Lusa, que descreve os principais desafios relacionados com a pobreza e a exclusão social entre os jovens em Portugal. Entre eles estão o desemprego, os empregos precários, os contratos irregulares e baixos salários.

A Cáritas Europa chama a atenção para os evidentes desequilíbrios entre os preços da habitação e os salários dos jovens, que os afasta da compra de casa ou até mesmo do arrendamento. Para ultrapassar este problema, o relatório recomenda aos decisores políticos que facilitem a "habitação a preços acessíveis para os jovens de acordo com os seus rendimentos e proporcionar-lhes a oportunidade de iniciar uma vida independente".

O relatório alerta ainda para o desemprego jovem, “um flagelo que atinge muitas famílias" e que "condiciona os sonhos e aspirações da juventude em Portugal", comprometendo "o futuro do país". Para a Cáritas é necessário promover políticas de emprego jovem, já que as oportunidades e níveis salariais diminuíram acentuadamente desde a crise financeira de 2008.

"Os jovens precisam de futuro" é o titulo do relatório que a Cáritas apresenta esta terça-feira (27 de fevereiro) no ISCTE, em Lisboa.