Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Câmara do Porto reabilita 17 edifícios no Centro Histórico para arrendar a preços acessíveis

Mike Rasching/Unsplash
Mike Rasching/Unsplash
Autor: Redação

A Câmara Municipal do Porto (CMP) está a apostar forte na renovação do património municipal, imóveis que precisam de obras profundas. Nesse sentido, a autarquia planeia prevê investir cinco milhões de euros na reabilitação de 17 edifícios no centro histórico, o que fará com que cheguem ao mercado 59 fogos para habitação social e acessível.

A garantia foi dada pelo vereador da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, na sessão extraordinária da Assembleia Municipal, que se realizou segunda-feira (27 de maio de 2019). “O grau de vetustez é tal que nos obriga a fazer grandes obras”, justificou Rui Moreira, presidente da CMP durante o debate.

Depois de reabilitadas, as casas vão contribuir não só para a redução da listagem de mais de 1.000 pedidos de habitação social, mas ainda ajudar à fixação de novas famílias no Centro Histórico, lê-se no site Porto.pt.

Sobre as “ilhas” existentes na Invicta, que mais não são que pequenas habitações de construção precária, Rui Moreira revelou que está a trabalhar para apresentar até ao final do mês a estratégia local de habitação, que terá de incluir “naturalmente” as respetivas “ilhas”.

“Nós temos um grupo de trabalho, com um investigador da Faculdade de Arquitetura, Aitor Varia Oro, que está a fazer um levantamento exaustivo, não só urbanístico, mas também social das ‘ilhas’ existentes. O investigador está a acompanhar também os proprietários no sentido de perceber até que ponto se consegue casar as duas necessidades, ou seja, aquilo que é a procura, com aquilo que é possibilidade oferta”, disse o autarca, citado pela Lusa, em resposta às questões levantadas pela deputada do BE Susana Constante Pereira.