Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Obra nova chega em força ao Porto: 1.266 fogos em licenciamento até julho (59% do total)

Nienke Broeksema/Unsplash
Nienke Broeksema/Unsplash
Autor: Redação

A aposta na construção nova em detrimento da reabilitação urbana parece ter vindo para ficar em Portugal. No Porto, entraram em processo de licenciamento nos primeiros seis meses do ano 2.130 novos fogos – correspondentes a 275 projetos –, a maioria dos quais, 1.266 fogos (59%), são de obra nova. Ou seja, até junho, apenas 864 fogos em licenciamento na Invicta são de reabilitação urbana.

“Tal volume [2.130 novos fogos em licenciamento entre janeiro e junho] é já equivalente a 78% dos fogos submetidos a licenciamento no concelho ao longo de todo o ano passado, os quais ascenderam a 2.740 unidades”, revela a Confidencial Imobiliário (Ci), em comunicado.

Segundo a mesma fonte, “a freguesia com maior dinâmica no semestre continua a ser a U.F. de Cedofeita, Stº Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, que corresponde ao eixo da Baixa-Centro Histórico e que se mantém como um destino preferencial para o mercado de reabilitação”. A freguesia em causa concentrou 38% do total de fogos lançados no período em causa.

Destaque ainda para a freguesia de Paranhos, que tem uma carteira de 22% do total dos fogos em licenciamento e que acolhe dois dos três projetos de grande dimensão (com 100 ou mais fogos) contabilizados no concelho no primeiro semestre: um com 133 fogos e outro com 100 fogos, ambos resultantes de construção nova. “O terceiro projeto de grande dimensão situa-se em Campanhã, possuindo 112 fogos e igualmente de construção nova”, lê-se no documento.

De referir que nos últimos dois anos e meio, entre janeiro de 2017 e junho de 2019, a carteira de fogos em processo de licenciamento no Porto ascende a 7.796 unidades distribuídas por 1.105 projetos residenciais.