Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Poupar na compra da casa? Sim, é possível...

Hoje é Dia Mundial da Poupança e nada como aproveitar a data para aprender a gerir melhor o dinheiro.

Photo by Alexander Dummer on Unsplash
Photo by Alexander Dummer on Unsplash
Autor: Redação

Se estás a pensar em comprar casa, informa-te sobre os comportamentos que podes adotar e que te permitem tomar uma decisão responsável, conforme o teu orçamento familiar que certamente te possibilitarão poupar dinheiro. Hoje, 31 de outubro de 2019, não se celebra apenas o "Dia das Bruxas" (ou Halloween na versão inglesa), é também o Dia Mundial da Poupança e nada como aproveitar a data para aprender a gerir melhor o dinheiro, sobretudo numa coisa tão importante como a compra de casa. Com este artigo preparado pela Deco para o idealista/news, vamos ajudar-te.

Começa por pensar a longo prazo. Ou seja, não penses só na tua situação atual. Tudo o que te parece seguro poderá alterar-se: o emprego, o valor do vencimento, as despesas e necessidades do agregado, até a saúde.  

Esta reflexão poderá ajudar-te a investir numa casa útil para todos, contribuindo para que no futuro não gastes (de)mais.  

Se a tua decisão final for efectivamente a de avançar para a compra da casa e necessitas de financiamento, relembramos-te que deves pedir várias simulações junto das entidades bancárias. Deves compará-las e negociá-las. 

Caso já tenhas crédito à habitação, podes fazer também este exercício para averiguar se compensa negociares com o teu banco ou ponderar em transferir o teu crédito à habitação para outra instituição. Não te esqueças que o mercado do crédito habitação está em constante modificação, fruto da concorrência entre os bancos, sendo possível obter melhores condições num crédito habitação.  

Portanto, conhecer o valor dos spreads apresentados pelos vários bancos e ter capacidade de negociação permitir-te-á poupanças anuais consideráveis. Não esqueças que as prestações com crédito não devem representar mensalmente mais de 35% do seu rendimento.  

Além dos juros, poderás ainda negociar todos os produtos que normalmente estão associados ao crédito habitação, como é o caso dos seguros de vida e multirriscos habitação.  

Ao contratar um seguro de vida para o crédito à habitação podes ponderar a contratação de um seguro temporário anual e renovável. É válido por um ano e renova-se automaticamente por iguais períodos até que uma das partes o termine. Os prémios são calculados consoante o capital e a idade das pessoas seguras. A idade é aqui um fator de risco pelo que os prémios são crescentes: quanto mais velho, mais paga. Não há nada como fazer as contas: peça uma simulação da prestação com o seguro proposto pelo banco e outra sem incluir o valor do seguro.  

Precisas também de saber que após a escritura, as despesas periódicas com o crédito incluem também:  

  • os prémios de seguros, 
  • as despesas com o condomínio,  
  • os impostos e taxas, nomeadamente o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), sendo que a tua casa pode beneficiar de um período de isenção. 

Concluímos com a velha máxima: “no poupar é que está o ganho”. Isto é, antes de comprares casa e recorreres ao crédito habitação, faz um “mealheiro” para a “entrada” do crédito habitação e para acautelar situações imprevistas.  

Nada como ter uma poupança para te sentires mais confortável em casa!