Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Câmara de Lisboa discute construção de três residências universitárias (704 quartos) em Alvalade

Em causa está uma proposta apresentada pela Universidade de Lisboa que foi subscrita pelo vereador do Urbanismo Ricardo Veludo.

Alexis Brown on Unsplash
Alexis Brown on Unsplash
Autor: Redação

A Universidade de Lisboa apresentou um “pedido de informação prévia” para “a construção de três edifícios destinados a residências universitárias com 704 quartos e aproximadamente 808 camas”, bem como espaços para comércio e restauração, na freguesia de Alvalade. Uma proposta que é discutida esta quinta-feira (5 de dezembro de 2019) pelo executivo da Câmara Municipal de Lisboa.

A proposta em causa foi subscrita pelo vereador responsável pelo pelouro do Urbanismo, Ricardo Veludo (Cidadãos por Lisboa, eleito nas listas do PS), escreve a Lusa, que teve acesso à mesma. Segundo o documento, o local deverá ainda ter um espaço de estacionamento em cave e com capacidade de 780 lugares, “que servirá os utilizadores da cidade universitária em geral”.

O projeto prevê a divisão da empreitada em três fases. A primeira, com a duração de 14 meses, para a construção do edifício 1 (com seis pisos) e “arranjos exteriores do lado norte”, a segunda, com o prazo de um ano, destinada à construção de uma praça, do estacionamento e arranjos exteriores, e a terceira, com a duração de 14 meses, para a construção dos edifícios 2 (igualmente com seis pisos) e 3 (que varia entre quatro, cinco e seis pisos) e “restantes espaços exteriores”.

Com esta proposta, Ricardo Veludo propõe a “homologação de parecer favorável” ao pedido de informação prévia da Universidade de Lisboa para a construção das residências universitárias “condicionada à apresentação de pedido de licenciamento” e ao cumprimento de alguns pressupostos.

Entre outras condicionantes, terão de ser entregues um “estudo de impacto de tráfego e de transportes”, um projeto de arranjos exteriores e os espaços de comércio não poderão ocupar uma área superior a 20% da parcela, escreve a Lusa.