Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Novo Banco vendeu imóveis a fundo anónimo, deu crédito e o Estado cobriu os prejuízos do negócio

Em causa está a venda do portfólio Viriato, em 2018, que gerou perdas de milhões que foram depois compensadas pelo Fundo de Resolução.

Autor: Redação

O Novo Banco vendeu 13 mil imóveis abaixo do preço de mercado a um fundo de investidores anónimos nas ilhas Caimão, a quem também emprestou dinheiro para financiar a compra, naquele que foi um dos maiores negócios imobiliários realizados nos últimos anos em Portugal. Mas depois de alienar a carteira de imóveis, o Novo Banco registou um prejuízo contabilístico no seu balanço, e acabou compensado pelo Fundo de Resolução pelas perdas de milhões.

Em causa está a venda do portfólio Viriato, composto por 5.552 imóveis e 8.719 frações, realizada em 2018. Segundo a investigação do jornal Público, que avança a notícia, foi o próprio Novo Banco que emprestou dinheiro ao fundo das ilhas Caimão para que a operação se pudesse realizar.

Os imóveis estavam avaliados em 631 milhões de euros, mas foram vendidos muito abaixo desse preço, por 364 milhões. O diferencial de preços, entre o seu valor estimado e o valor real da venda, foi colmatado por uma ajuda extra, nomeadamente pelo Fundo de Resolução, que cobriu parte das perdas que o Novo Banco teve no negócio – cerca de 260 milhões de euros.

Tal como explica a publicação, o Fundo de Resolução - financiado em grande medida pelo Estado - foi criado em 2012, e compromete-se a injetar dinheiro sempre que as contas do Novo Banco fiquem ameaçadas, algo que se veio a verificar neste caso.