Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Programa Porto com Sentido quer converter 250 casas de AL em rendas acessíveis até final do ano

Autarquia deverá investir cerca de 4,3 milhões de euros no programa até 2022, para um total de mil contratos de arrendamento.

Photo by Simon Couball on Unsplash
Photo by Simon Couball on Unsplash
Autor: Redação

O programa Porto com Sentido faz parte da política municipal de habitação acessível da Câmara do Porto, e prevê a inclusão no mercado de arrendamento de imóveis que estão atualmente destinados ao Alojamento Local (AL) - na prática, a autarquia irá arrendar casas a privados para depois subarrendá-las. Até agora, a Câmara recebeu 70 contactos de proprietários e foram formalizadas nove candidaturas, sendo que o objetivo é chegar aos 250 apartamentos até ao final do ano.

O projeto, que quer aumentar a bolsa pública de habitação na Invicta, pretende que, "a cada dez candidaturas ou mensalmente, se vai fazendo a seleção das habitações que serão imediatamente colocadas em concurso para subarrendamento a rendas acessíveis”, tal como explica fonte do gabinete de comunicação do município, ao Público.

O investimento municipal estimado para o programa é superior a 4,3 milhões de euros até 2022, para um total de mil contratos de arrendamento – serão celebrados por um prazo de pelo menos dois anos, sendo prorrogáveis, uma única vez, por prazo máximo de cinco anos, tal como noticiou o idealista/news. A autarquia irá ainda fixar uma renda “travão” que “irá ficar significativamente abaixo dos valores conhecidos de oferta no mercado de arrendamento para o conjunto das freguesias de Porto, do próprio valor efetivamente contratado para esse mesmo universo, mas também da mediana dos indicadores do Instituto Nacional de Estatística (INE)”.

O objetivo, tal como se pode ler num comunicado divulgado no site Porto.pt, produzido pelo gabinete de comunicação e promoção da autarquia, é “fixar a população residente e atrair alguns dos muitos cidadãos que, nos últimos anos, não encontraram opções de habitação no atual mercado de arrendamento na cidade”.