Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Covid-19: “Nota-se uma afluência enorme e nunca vista na procura de casas nos meios rurais”

Francisco Grácio, CEO da PortugalRur, diz em entrevista que devido à pandemia a procura de imóveis no interior do país disparou.

PortugalRur
PortugalRur
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

Ao longo dos 20 anos de atividade, a PortugalRur, com sede em Proença-a-Nova, tem vindo a fixar gente no interior de Portugal, famílias que recuperam casas, ajudam a combater a desertificação, alavancando a economia e o comércio local. Em entrevista ao idealista/news, Francisco Grácio, fundador e CEO da empresa dedicada à promoção e venda de imóveis rurais, destaca que, desde o início do confinamento provocado pela Covid-19, nota-se uma "afluência enorme e nunca vista na procura de casas e propriedades no meio rural". As pessoas, que se decidem mudar, procuram neste entorno um novo refúgio pessoal e familiar, longe dos grandes centros urbanos.

No percurso de 20 anos de atividade da PortugalRur quais foram os momentos mais marcantes?

Ao longo destes anos, houve momentos que importa realçar, tais como os encontros nacionais promovidos pela empresa, a participação em feiras internacionais na Holanda e em França, no Salão do Imobiliário de Paris. Mas também no SIL, em Lisboa. Estas atividades foram importantes para o reconhecimento de liderança nacional e internacional da PortugalRur, no nosso segmento de mercado.

Temos ao longo dos anos vindo a fixar gente no interior de Portugal, sobretudo nestes territórios de baixa densidade populacional.

De que forma a atividade da PortugalRur tem contribuído para a fixação e recuperação do património rural do país?

Consideramos que da forma mais positiva. Temos vindo a fixar gente no interior de Portugal, sobretudo nestes territórios de baixa densidade populacional. Muitas vezes, essas pessoas nunca tinham ouvido falar das terras e aldeias que os acolheram. Recuperaram o casario classificado como património local, trouxeram consigo amigos e familiares que, além de recuperarem as casas, alavancaram a economia e o comércio local. Animaram as aldeias, e deram a conhecer muito daquilo que é ainda o nosso Portugal desconhecido.

PortugalRur
PortugalRur

No período de pandemia em que ainda vivemos sente uma maior apetência ao meio rural?

Nota-se uma afluência enorme na procura de casas e propriedades rurais, nunca vista. As pessoas procuram aqui o seu refúgio pessoal e familiar, longe dos grandes centros citadinos, da poluição, encontrando ar puro e ausência de poluição, convívio amigo, são e hospitaleiro.

O Alentejo, tem sido sem dúvida a região com maior procura, do ponto de vista rural.

Quais as zonas com mais atividade e onde é mais visível a apetência pelo meio rural?

Estamos praticamente presentes com imóveis em todos os distritos do país, muito embora, estejamos mais expressivos no Alentejo, Ribatejo, Estremadura, Beira Interior e Litoral. Mas, paulatinamente iremos defender e desencadear um maior equilíbrio entre regiões. O Alentejo, tem sido sem dúvida a região com maior procura, do ponto de vista rural.

Aldeia da Azinheira / PortugalRur
Aldeia da Azinheira / PortugalRur

Um dos produtos da PortugalRur são as casas em aldeias de Xisto. Já tem potenciais interessados para a Aldeia da Azinheira?

Sim já fomos contatados por investidores madeirenses, que muito em breve visitarão a Aldeia da Azinheira, com um corpo técnico de arquitetos. Pretendem dessa forma dar corpo a projeto de turismo rural, distinto e inovador.

Como se carateriza a oferta e os preços das casas da Aldeia do Xisto de Figueira, em Proença-a-Nova?

Tratando-se de uma Aldeia de Xisto classificada, e dada alguma escassez de oferta para compra, os valores de venda tendem inflacionar. Contudo, e dependendo muito do estado de conservação do imóvel, e de apoios financeiros que contemplam parcialmente os restauros dessas casas, os valores ainda assim praticados, apresentam-se equilibrados.

Quais são as caraterísticas da carteira de propriedades da PortugalRur?

Temos uma panóplia de imóveis que vão desde as casas rurais, herdades, quintas, montes alentejanos, a palacetes, entre outros investimentos, distribuídos por todas as regiões do país. Com maior incidência no Alentejo, Beira Interior, Ribatejo, Região Oeste e Região Norte.

Contudo, a PortugalRur, contrariamente a outras mediadoras a operar no mercado, que possuem imensos imóveis sem certificação energética, acabou por reduzir substancialmente a carteira de imóveis, face aos requisitos emanados pela ADENE quanto à obrigatoriedade de certificados energéticos, em que muitos dos proprietários, ainda não aceitam que esse tipo de requisito que é incondicional e obrigatório.

Temos uma panóplia de imóveis que vão desde as casas rurais, herdades, quintas, montes alentejanos, a palacetes, entre outros investimentos, distribuídos por todas as regiões do país. Com maior incidência no Alentejo, Beira Interior, Ribatejo, Região Oeste e Região Norte.

Quais os projetos mais emblemáticos que venderam?

O Torre de Palma Wine Hotel em Vaiamonte Monforte, vencedor, proposto por nós ao Prémio SIL em 2018; a quinta senhorial Casa da Tapada, do poeta Sá de Miranda, em Amares, Braga; um majestoso e imponente palacete na Rua S. Marçal em Lisboa; a Quinta das Longas em S. Vicente em Elvas, uma propriedade emblemática com ruínas romanas, solar e capela; a Quinta do Lobo em Vila Viçosa, entre tantos outros.

Torre de Palma Wine Hotel em Vaiamonte Monforte / PortugalRur
Torre de Palma Wine Hotel em Vaiamonte Monforte / PortugalRur

A PortugalRur tem atualmente quantos consultores imobiliários?

Temos um leque variado de consultores regionais, que operam praticamente em todas as regiões do país. Apenas na região do Algarve funcionamos em regime de parceria.

Que novos projetos da PortugalRur tem para levar a cabo nos próximos anos?

A aposta no futuro assenta numa base de crescimento sustentado e na inovação. Trata-se de uma empresa familiar que conta com a presença dos meus dois filhos, Tiago e Ricardo, que na qualidade de diretores estão a dar continuidade a esta nossa atividade, de uma forma mais inovadora, mais irreverente, mas, ao encontro do futuro e da modernidade que vai evoluindo no setor imobiliário. Pretendem assim alavancar a empresa, através de novos projetos que possam continuar a configurar a nossa liderança ao nível do mercado rural em Portugal.

PortugalRur
PortugalRur