Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

QuartoSala alia-se à promoção imobiliária: novo serviço de curadoria para melhorar os espaços

A decoração de interiores como ferramenta para fazer negócio. Pedro d’Orey, sócio fundador da QuartoSala, fala sobre a sua importância em entrevista ao idealista/news.

Pedro d’Orey, Sócio Fundador da QuartoSala / QuartoSala
Pedro d’Orey, Sócio Fundador da QuartoSala / QuartoSala
Autor: Leonor Santos

“Inovar e trazer mais qualidade, tentando seduzir o cliente através de uma experiência intangível, mas de grande valor”. Este é o propósito do novo serviço de curadoria lançado pela QuartoSala, especialista em projetos de decoração e design de interiores que decidiu enfrentar a pandemia, reiventando-se, e apostando numa nova unidade de negócio. O objetivo é simples: trabalhar em parceria com os promotores imobiliários para decorar os andares modelo dos seus empreendimentos e potenciar o melhor dos espaços. “Com a pandemia as pessoas viraram-se para dentro de suas casas. Passaram a dar mais valor à ideia do projeto de interiores como uma ferramenta incontornável para trazer qualidade ao dia a dia e à forma como vivem a casa”, explica Pedro d’Orey, sócio fundador da QuartoSala, em entrevista ao idealista/news.

Trata-se de uma nova tendência que apresenta benefícios para todos os seus intervenientes. Para a QuartoSala, diz o responsável, porque “ganha” novas localizações para expor as suas peças de design e atrair clientes para as suas lojas/showroom, para os promotores imobiliários porque mostram as casas decoradas e com peças ajustadas aos diferentes ambientes, e para os potenciais clientes, que assim conseguem ter uma melhor perceção dos espaços e de todo o seu potencial.

A ideia deste serviço de curadoria nasceu em plena pandemia da Covid-19, e já está no terreno. A QuartoSala já fez intervenções em andares modelo de dois empreendimentos de luxo em Lisboa, o novo Liberdade 49, localizado na Avenida da Liberdade, e o Alure, na zona do Cais do Sodré. Trata-se de uma oportunidade para, através de um serviço de aconselhamento, melhorar o aspeto visual dos projetos e a experiência de quem visita. A verdade é que a nova unidade de negócio já está a dar frutos: “temos já um caso de um cliente que comprou um apartamento da mesma tipologia da instalação que fizemos, e que gostaria de ter o seu apartamento decorado exatamente como está o nosso projeto”, conta Pedro d’Orey.

Como surgiu a ideia de lançar este serviço de curadoria? Em que consiste? E quais são as grandes vantagens? A aposta está a conquistar os promotores? Como tem corrido o negócio em tempos de pandemia? O sócio fundador da QuartoSala responde a estas e outras questões numa entrevista que agora reproduzimos na íntegra.

Liberdade 49, Avenida da Liberdade / QuartoSala
Liberdade 49, Avenida da Liberdade / QuartoSala

Como surgiu a ideia de lançar este serviço de curadoria?

Tínhamos acabado de abrir a nossa nova loja de design de interiores no Príncipe Real quando começou a crise pandémica. Sabemos que o público que habitualmente frequenta as lojas de design precisa de uma experiência física com as peças e com as marcas. Com as lojas fechadas tivemos que pensar em alternativas para diversificar os pontos de experiência da marca QuartoSala junto do seu público. Por outro lado, assistimos nos últimos tempos à chegada a Portugal de um público altamente qualificado, que não se deixa seduzir pelo modelo tradicional de promoção imobiliária.

Com as lojas fechadas tivemos que pensar em alternativas para diversificar os pontos de experiência da marca QuartoSala

Pensámos que também aí haveria espaço para inovar e trazer mais qualidade, tentando seduzir esse cliente através de uma experiência intangível, mas de grande valor. De brainstorming em brainstorming acabámos por chegar à ideia de que poderíamos juntar forças com o setor imobiliário e criar um novo conceito que inicialmente chamámos “Andar modelo 2.0”.

Quando é que arrancaram com esta nova unidade de negócio? Foi pensada durante a pandemia?

Esta nova unidade de negócio foi pensada logo nos primeiros meses de 2020, já em plena pandemia. Para um projeto destes é preciso ter interlocutores que entendam o interesse do projeto e que estejam dispostos a inovar e investir em novos conceitos.

No segundo semestre tivemos as primeiras conversas com a Prime Portugal que imediatamente entendeu o interesse e a viabilidade do que estávamos a propor, e que nos deu a oportunidade de intervir no edifício Liberdade 49 – que estava em fase de reforma – ou seja, no timing certo para podermos juntar forças e estruturar esta parceria.

Liberdade 49, Avenida da Liberdade / QuartoSala
Liberdade 49, Avenida da Liberdade / QuartoSala

Quais são as grandes vantagens de recorrer a este serviço de aconselhamento?

A grande vantagem é podermos associar o nosso know-how na área dos projetos de design de interiores, e a nossa experiência no atendimento desta tipologia de clientes de alto padrão, à necessidade dos promotores imobiliários de adaptar a sua oferta a esta nova realidade. Nós sabemos como os clientes querem viver as suas casas e podemos trazer esse conhecimento para a fase de promoção do empreendimento. É uma experiência geradora de negócios.

Nós sabemos como os clientes querem viver as suas casas e podemos trazer esse conhecimento para a fase de promoção do empreendimento

É importante considerar as vantagens da comunicação do empreendimento, gerada a partir dos três intervenientes na parceria (a QuartoSala, o promotor imobiliário e as marcas de Design envolvidas), e da divulgação que acaba por ser feita pelo próprio público que visita o espaço, e que é ativada através das suas redes sociais.

Projeto Alure, Cais do Sodré / QuartoSala
Projeto Alure, Cais do Sodré / QuartoSala

Estão a ter uma boa adesão junto dos promotores? Podem dar exemplos?

Até agora consideramos que esta é uma aposta que está a trazer bons frutos.
Estamos a ter resultados do nosso lado, do lado do promotor imobiliário e por parte das marcas de design de mobiliário que fizeram parte da instalação que fizemos no Liberdade 49. Um outro empreendimento com o qual fizemos uma parceria é o Alure, localizado junto à Rua do Alecrim, e cuja obra vai começar em maio. É outro exemplo de um espaço residencial que nasce depois de uma renovação de um edifício bicentenário. Estamos a terminar o desenho dos interiores e temos a certeza de que o espaço vai fazer todo o sentido a um público exigente e cosmopolita. 

Que andares modelo já decoraram? E de que tipo? Podem dar exemplos?

O exemplo do projeto de decoração de interiores do Liberdade 49 - a que chamámos de Showroom Apartment - é o primeiro projeto já finalizado dentro deste modelo inovador que estamos a desenvolver, mas a continuarmos com esta boa receção por parte do público podemos assegurar que este serviço deverá continuar a crescer e a ter maior adesão por parte dos promotores imobiliários.

O exemplo do projeto de decoração de interiores do Liberdade 49 - a que chamámos de Showroom Apartment - é o primeiro projeto já finalizado dentro deste modelo inovador

Já chegaram clientes à QuartoSala através deste serviço? Isto é, viram as peças nos andares modelo e quiseram comprar os artigos...

Sim, de facto já temos duas experiências de grande valor para nós. De um lado, clientes de alto padrão que ao visitarem o projeto de interiores do Liberdade 49 reconhecem as marcas de luxo que utilizámos nesta instalação. E nesse sentido consideramos a missão cumprida, já que o desafio da curadoria de peças que utilizámos tinha como intenção inicial poder falar muito diretamente com o público, que conhece e aprecia essas mesmas peças. Por outro lado temos já um caso de um cliente que comprou um apartamento da mesma tipologia da instalação que fizemos, e que gostaria de ter o seu apartamento decorado exatamente como está o nosso projeto.

Liberdade 49, Avenida da Liberdade / QuartoSala
Liberdade 49, Avenida da Liberdade / QuartoSala

Como tem corrido o negócio em tempos de pandemia?

Com a pandemia as pessoas viraram-se para dentro de suas casas. Passaram a dar mais valor à ideia do projeto de interiores como uma ferramenta incontornável para trazer qualidade ao dia a dia e à forma como vivem a casa. O nosso serviço de projetos de design de interiores "explodiu" de consultas mesmo com as lojas fechadas.

Há uma mudança de perfil de cliente?

Assistimos de facto em Portugal a uma subida do nível de exigência dos clientes de design de interiores. Os clientes estão mais conhecedores e isso é um salto qualitativo que evidenciou no último ano. Por outro lado, existe uma leva de clientes estrangeiros que se estão a instalar em Portugal com experiências de consumo de muita qualidade, e que de alguma forma estão a contaminar positivamente também a experiência de consumo dos próprios portugueses.

Assistimos de facto em Portugal a uma subida do nível de exigência dos clientes de design de interiores

Que tipo de grandes alterações têm notado em termos de pedidos por parte dos clientes na hora de decorar uma casa para responder às novas necessidades de habitação?

Uma casa tem de ter uma dinâmica que faça sentido a quem usa o espaço. Tem de ser funcional e confortável, tirando máximo partido da arquitetura de interiores. Passou a ser crucial o desenvolvimento de um bom projeto de iluminação. A casa é agora o palco de vários cenários de luz que as pessoas vão querer gerir no dia a dia conforme o seu estado de espírito. É o que chamamos de design emocional, e que deve refletir a alma de quem vive a casa.

É o que chamamos de design emocional, e que deve refletir a alma de quem vive a casa.

Quais as grandes tendências de decoração no momento?

O aspeto multifuncional dos espaços é agora a grande tendência. As fronteiras entre o espaço doméstico e o espaço corporativo de trabalho estão claramente esbatidas. E há até uma alteração do paradigma. Podemos quase dizer que a partir de agora as pessoas vão passar a ir aos escritórios para socializar e voltam a casa para trabalhar.

Projeto Alure, Cais do Sodré / QuartoSala
Projeto Alure, Cais do Sodré / QuartoSala