Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Preços das casas voltam a subir em Portugal, puxados pelo Grande Porto e Algarve

Na Região Autónoma da Madeira e na Área Metropolitana de Lisboa houve, pelo contrário, uma desaceleração dos preços no último trimestre de 2020. Dados divulgados pelo INE.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

No último trimestre de 2020, o preço mediano das casas foi de 1.188 euros por metro quadrado (m2), um valor que representa uma subida de 1,7% face ao terceiro trimestre e de 7,8% face ao último trimestre de 2019. Quer isto dizer que, mesmo em tempos de pandemia, as casas em Portugal ficaram mais caras. O Grande Porto e o Algarve destacaram-se ao verem os preços subirem 14,7% e 10,1%, respetivamente, registando taxas de variação homóloga mais expressivas que a do país (7,8%), de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

Para o gabinete de estatísticas nacional, a evolução da taxa de variação homóloga entre o 3.º e 4.º trimestre de 2020, de 7,6% para 7,8%, evidencia até “uma ligeira aceleração dos preços da habitação, interrompendo a desaceleração verificada nos dois trimestres anteriores“.

O INE refere também que em 12 NUTS III (Nomenclatura das Unidades Territoriais para Fins Estatísticos) houve uma aceleração dos preços da habitação superior à verificada no país (mais 0,2 pontos percentuais), incluindo o Algarve (mais 2,4 pontos percentuais) e a Área Metropolitana do Porto (mais 1,0 pontos percentuais). Ainda assim, em treze sub-regiões houve uma desaceleração dos preços, nomeadamente, na Região Autónoma da Madeira (menos 8,5 pontos percentuais) e na Área Metropolitana de Lisboa (menos 1,0 pontos percentuais).

No reta final de 2020, os preços das casas subiram em 243 dos 308 municípios portugueses e houve 144 municípios, quase metade dos que existem no país, onde os preços das casas aumentaram a dois dígitos. 

Porto vê preços disparem 14,7%

Como o maior crescimento homólogo destaca-se a Área Metropolitana do Porto (+14,7%), e com o menor preço mediano de venda de alojamentos familiares, o Alto Alentejo (433 euros por m2).

Tendo como referência os 24 municípios com mais de 100 mil habitantes, o Porto registou a maior taxa de variação homóloga, de 21,2%, no quarto trimestre de 2020, enquanto em 16 municípios ocorreu uma desaceleração dos preços da habitação. Destes 16 municípios, seis pertenciam à Área Metropolitana de Lisboa, com Almada a liderar com um recuo de 10,8 pontos percentuais, e cinco à Área Metropolitana do Porto, com a Maia a registar o maior recuo, de menos 6,4 pontos percentuais

A desaceleração mais expressiva dos preços foi em Leiria, com um recuo de 12,4 pontos percentuais, e a ser o único município que registou uma redução homóloga dos preços no 4.º trimestre de 2020.

Em relação às subidas, o INE precisa que em oito municípios a aceleração dos preços entre o 3.º e 4.º trimestres de 2020 foi superior ao padrão nacional (mais 0,2 pontos percentuais), tendo sido mais acentuada na Amadora (mais 6,5 pontos), em Matosinhos (mais 4,5 pontos), Cascais e Braga (ambos com mais 4,0 pontos).

Lisboa continua a ser a cidade mais cara

No 4º trimestre de 2020 (últimos 12 meses), o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi 1.188 euros por m2, aumentando +2,4% relativamente ao trimestre anterior e +9,9% relativamente ao trimestre homólogo. O preço mediano da habitação manteve-se acima do valor nacional nas regiões do Algarve (1.771 euros por m2), Área Metropolitana de Lisboa (1.630 euros por m2), Região Autónoma da Madeira (1.322 euros por m2) e Área Metropolitana do Porto (1.240 euros por m2).

No período em análise, 46 municípios apresentaram um preço mediano superior ao valor nacional, localizados maioritariamente nas sub-regiões Algarve (14 em 16 municípios) e Área Metropolitana de Lisboa (15 em 18). O município de Lisboa (3.377 euros por m2) registou o preço mais elevado do país. Verificaram-se também valores superiores a 2.000 euros por m2 em Cascais (2.787 euros por m2), Oeiras (2.353 euros por m2), Loulé (2.286 euros por m2), Porto (2.142 euros por m2), Albufeira (2.026 euros por m2) e Lagos (2.016 euros por m2), mais um município que no trimestre anterior.

20 MUNICÍPIOS MAIS CAROS*
Portugal 1.188
Lisboa 3.377
Cascais 2.787
Oeiras 2.353
Loulé 2.286
Porto 2.142
Albufeira 2.026
Lagos 2.016
Odivelas 1.999
Tavira 1.963
Lagoa 1.823
Loures 1.792
Faro 1.752
Almada 1.745
Funchal 1.724
Vila Real de Santo António 1.697
Aljezur 1.668
Amadora 1.667
Matosinhos 1.637
Portimão 1.627
Mafra 1.557
* Valor mediano das vendas por m2 de alojamentos familiares (€/m2) - 4º T 2020 (12 meses)

A Área Metropolitana de Lisboa foi a sub-região com a maior amplitude de preços entre municípios (2.477 euros por m2): o menor valor registou-se na Moita (900 euros por m2) e o maior em Lisboa. O Algarve, a Área Metropolitana do Porto, a Região Autónoma da Madeira, a Região de Coimbra e o Alentejo Central apresentaram também diferenciais de preços entre municípios superiores a 1.000 euros por m2.