Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Preço das casas

Imobiliário resiste a “investidores oportunistas” e pode fechar o ano com saldo positivo

O preço das casas continuou a subir mesmo em tempos de pandemia, revelam os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE). E apesar das vendas terem caído a pique - muitas operações foram adiadas -, as previsões apontam para um balanço final de ano positivo, segundo as estimativas dos especialistas. A verdade é que o imobiliário não passou “impune” ao contexto provocado pela Covid-19, mas está a resistir e, para já, a fazer frente aos “investidores oportunistas” à espera de saldos.

Notícia sobre:

“Nada fazia prever que o setor imobiliário registasse este comportamento em 2020”, diz Luís Lima

No segundo trimestre de 2020, venderam-se em Portugal 33.398 alojamentos familiares, menos 23,3% que no trimestre anterior e menos 21,6% que no período homólogo. Um decréscimo que já era esperado e que se deve à pandemia da Covid-19, refere Luís Lima, presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), adiantando que “nada fazia prever que o setor imobiliário registasse este comportamento no decorrer de 2020”.

Notícia sobre:
Gtres

Preço das casas ainda sobe em tempos de pandemia, mas menos – e venda de imóveis cai a pique

A Covid-19 deixou marcas em todos os setores de atividade, e o imobiliário não é exceção. Os preços das casas continuaram, no entanto, a subir em tempos de pandemia, tendo aumentado 7,8% no segundo trimestre de 2020. Trata-se, contudo, de um crescimento homólogo 2,5% inferior ao registado nos primeiros três meses do ano (10,3%). Os dados divulgados esta terça-feira (22 de setembro de 2020) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) permitem ainda concluir que foram transacionados, entre abril e junho, 33.398 alojamentos, com um valor total de 5,1 mil milhões de euros, menos 21,6% e 15,2%, respetivamente, que no mesmo período do ano passado.

Notícia sobre:

Preço das casas de luxo em Lisboa disparou 98% na última década

Os preços das casas de luxo em Lisboa dispararam 98% na última década, ou seja, entre 2010 e 2020. Em causa estão dados divulgados pela consultora Savills, que prevê que os valores praticados no segmento residencial premium na capital superem, nos próximos cinco anos, os verificados em cidades como Londres (Reino Unido), Nova Iorque (EUA) e Hong Kong.

Notícia sobre:

Preços dos T2 em Lisboa baixaram 20% com criação de zonas de contenção de AL

A criação de zonas de contenção de Alojamento Local (AL) em Lisboa, no final de 2018, parece ter cumprido o propósito esperado pela autarquia, já que os preços dos T2 nos bairros sujeitos às restrições tiveram uma quebra de 20%. No que diz respeito aos preços da generalidade dos imóveis, recuaram cerca de 9%. Estas são algumas das conclusões de um estudo publicado pelo Gabinete de Estratégia e Estudos do Ministério da Economia.

Notícia sobre:

Estas são as freguesias mais caras e procuradas para comprar e arrendar casa

Os preços das casas em Portugal subiram 0,5% no segundo trimestre de 2020 face ao trimestre anterior, fixando-se em 2.070 euros por metro quadrado (m2), segundo dados do índice de preços do idealista. Significa isto, então, que o mercado imobiliário continua ativo, mesmo em tempos de pandemia de Covid-19, apesar de evoluir a velocidades diferentes, quer no mercado de compra e venda quer de arrendamento. Mostramos-te, em baixo, quais foram as freguesias mais caras e procuradas para comprar e arrendar casa em Portugal entre abril e junho de 2020.

Notícia sobre:

“Preços de venda das casas são pouco elásticos e atualmente verificamos que estão muito estáveis”

A pandemia da Covid-19 surgiu em Portugal – e no mundo – sem pedir licença, estando a deixar a sua marca em vários setores de atividade. E o imobiliário não foge à regra. Os dados divulgados pela Century 21 (C21) Portugal, relativos ao primeiro semestre do ano, são, no entanto, “mais positivos” do que o estimado. Ricardo Sousa, CEO da empresa, diz ao idealista/news que “ainda é cedo para ter indicadores claros sobre o impacto da pandemia no setor”, explicando ainda que "nos imóveis residenciais os preços de venda são pouco elásticos e atualmente estão muito estáveis”.

Notícia sobre:

Jovens adultos saem de casa dos pais cada vez mais tarde – e poucos compram com menos de 30 anos

Os jovens adultos saem cada vez mais tarde de casa dos pais e são poucos os que têm habitação própria quando o BI marca menos de 30 anos. Estas são algumas das conclusões do estudo “Habitação própria em Portugal numa perspetiva intergeracional”, encomendado pela Fundação Calouste Gulbenkian e que tem como autores Romana Xerez, Elvira Pereira e Francielli Dalprá Cardoso, do Centro de Administração e Políticas Públicas do ISCSP.

Notícia sobre:
Gtres

Quanto custa comprar casa em Portugal? Rx aos preços em todo o país

Comprar casa em Portugal continua a ser cada vez mais caro. No primeiro trimestre de 2020, o preço mediano de alojamentos familiares foi 1.117 euros por metro quadrado (€/m2), mais 3,3% que no trimestre anterior e mais 10,5% que no mesmo período do ano passado, revelou esta quinta-feira (9 de julho de 2020) o Instituto Nacional de Estatístia (INE), frisando que os números não traduzem ainda o impacto da pandemia da Covid-19 no mercado habitacional, pelo que podem “distanciar-se das condições e tendências mais atuais do mercado”.

Notícia sobre:

Comprar ou arrendar? Casas próprias mais caras 40% em Portugal desde 2007 - o dobro de na UE

Comprar ou arrendar casa? Esta é uma pergunta que muitas pessoas colocam e que é de difícil resposta. Uma coisa é certa: nos últimos anos, entre 2007 e o primeiro trimestre de 2020 – já abrange o mês de março deste ano, marcado pelo início da pandemia de Covid-19 –, muita coisa mudou nos preços na União Europeia (UE), onde subiram 20,5% no mercado de compra e venda de casas e 20,8% no mercado de arrendamento. E em Portugal as subidas foram ainda mais altas neste péríodo, analisado pelo Eurostat.

Notícia sobre: