Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Como aquecer a casa sem radiadores (e poupar na fatura da luz)

Com os preços da energia em máximos históricos, e o frio a chegar, torna-se importante pensar em soluções alternativas.

Aquecer a casa sem radiadores
Gerd Altmann da Pixabay
Autor: Redação

Com o inverno (quase) à espreita, e as temperaturas a cair muito em breve, as casas precisam de aquecimento. Com os preços da energia em máximos históricos, torna-se importante, por isso, pensar em soluções alternativas que permitam combater o frio, sem que a fatura da luz (ou gás) atinja valores astronómicos no final do mês.

Neste artigo, deixamos-te algumas dicas úteis sobre como podes tornar a casa mais quente sem radiadores ou ares condicionados (e claro, poupando na fatura da luz).

Aquecer a casa com recuperadores de calor a pellets

A opção de aquecer uma casa sem radiadores já é bastante comum, principalmente para determinados tipos de casas. Especialmente para propriedades como apartamentos ou casos de grandes espaços abertos. Nestes casos, fogões a pellets são uma boa solução para aquecer a casa sem gastar muito.

Recuperadores de calor a pellets
Pixabay

Fogões a pellets (ou alimentados por outros tipos de biomassas) podem aquecer uma casa de até 350 m2 sem radiadores. Além disso, alguns modelos, conhecidos como "radiadores", podem transmitir ar quente para criar uma zona de conforto verdadeiramente única. Os recuperadores de calor a pellets também podem ser integrados no sistema de aquecimento existente e poupar uma quantia considerável de dinheiro.

Um fogão a pellets permite poupar desde 100 euros por ano (se conectado a um sistema de metano) até um máximo de mais de 1.000 euros (se conectado a um sistema de GPL). Obviamente, eles também podem ser ligados e desligados com um sistema programado ou remoto.

Painéis de aquecimento de parede

Para aquecer uma casa cheia de divisões sem radiadores e sem gastar muito dinheiro, recomendamos outro tipo de solução, ainda pouco conhecida. É uma opção elegante e eficaz, o painel de aquecimento de parede, que emite radiação infravermelha que apenas atinge (aquece) os objetos sólidos que estão ao seu alcance.

Na prática, portanto, estas “pinturas” não aquecem o ar, mas infundem calor nos objetos circundantes, elevando rapidamente a temperatura da divisão. O calor, difundido pela radiação, aquece rapidamente e mantém a temperatura por muito tempo.

Painéis de aquecimento de parede
Klarstein

Outro ponto forte é o consumo, que é extremamente baixo, já que a potência pode ser regulada (ao contrário dos radiadores clássicos, que aquecem ao máximo até atingir a temperatura desejada). E não só, não há dispersão de calor, uma vez que os painéis não aquecem o ar, mas apenas os objetos dentro de uma sala (incluindo a pessoa que nela habita).

Piso radiante para aquecer a casa

O pavimento radiante ainda não é muito comum, mas pode ser uma boa solução. É um sistema de tubagens (imbutido no pavimento), por onde circula água quente, que irá percorrer a casa toda.

Piso radiante para aquecer a casa
Pixabay

O calor tende a subir e haverá, assim, uma distribuição mais uniforme do calor – ao contrário dos radiadores convencionais (o ar é mais quente junto a eles e mais frio se nos afastarmos). O custo de aquisição pode ser maior (sendo esta uma das desvantagens), mas a conta da luz sairá mais barata, a longo prazo.