Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Famílias carenciadas recebem 1.300 euros para aquecer a casa

Serão atribuídos 56 milhões de euros às famílias para tornarem as suas casas mais eficientes, 26 milhões dos quais para os agregados mais pobres.

Autor: Redação

O Ministério do Ambiente vai atribuir, já em 2021, 56 milhões de euros às famílias para tornarem as suas casas mais eficientes e, desta forma, ajudar a combater a pobreza energética existente no país. Cerca de metade deste montante, 26 milhões de euros, visa ajudar os agregados mais carenciados, sendo que cada um receberá um vale/’voucher’ de 1.300 euros. As estimativas apontam para a existência de cerca de 20 mil famílias nestas condições, mas tudo depende das candidaturas a concurso, que o Governo espera iniciar no verão.

A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias, adiantando que o valor em causa está incluído no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Os vales para eficiência energética têm uma dotação de 130 milhões e pretendem chegar a um total de 100 mil famílias com carências económicas.

De acordo com a publicação, quase um quarto das pessoas não consegue aquecer as respetivas casas e 24,4% vivem em edifícios com infiltrações de água ou humidade. 

A Estratégia de Combate à Pobreza Energética, adotada pelo Governo para combater este fenómeno, entrou esta quinta-feira (15 de abril de 2021) em consulta pública e tem como objetivo reduzir gradualmente estes problemas até 2050.