Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Como aquecer a casa: quase um quinto dos portugueses passa frio dentro do lar

Dados do Eurostat mostram que 18,9% da população não consegue pagar para ter a casa quente. Apresentamos dicas para ajudar a mudar este cenário.

Photo by Nery Zarate on Unsplash
Photo by Nery Zarate on Unsplash
Autor: Redação

Um em cada cinco portugueses não consegue manter a casa quente, por falta de capacidade para pagar a fatura de energia (eletricidade ou gás). Os dados mais recentes do Eurostat, revelados esta semana, mostram que 18,9% da população portuguesa passa frio em casa, porque não tem dinheiro suficiente para o aquecimento - contra 6,9% de média europeia. Apresentamos um conjunto de dicas sobre como aquecer a casa e aumentar o conforto térmico do lar, protegendo a casa do frio e do mau tempo.

Portugal regista a quarta maior percentagem da União Europeia. Só países como a Bulgária, Lituânia e Chipre têm percentagens mais elevadas que Portugal. No caso da Bulgária, 30% da população afirma não conseguir manter a casa quente, seguida por 26,7% na Lituânia e 21% no Chipre. Também a Grécia e Itália registam valores elevados, com 17,9% e 11,1%, respetivamente.

Em sentido contrário, a Suíça é o país da UE com a menor percentagem, com 0,3%, seguido pela Noruega, com 1% e por países como a Finlândia (1,8%), Áustria (1,8%) e Suécia (1,9%), Luxemburgo (2,4%), Estónia (2,5%) e Alemanha (2,5%).

O gabinete de estatística ressalva que os dados reportam a 2019, alertando que a Covid-19 poderá ter impacto nos indicadores esperados para 2020.

25% dos portugueses vive em casas com infiltrações

Por outro lado, quase um quarto dos portugueses vive com humidades em casa, e até chuva. Segundo os dados do Eurostat, Portugal tem mesmo a segunda maior percentagem de infiltrações nos tetos, com 24,4% da população a apontar este problema nos lares. Pior só o Chipre, com uma percentagem de 31,1%. Também neste ponto Portugal fica acima da média da UE a 27, situada nos 12,7%.

Em sentido contrário, os países com menor percentagem são a Finlândia (4,1%), Eslováquia (5,7%) e Suécia (7%).

Dicas para proteger o lar do frio e do mau tempo

Para ajudar a manter o frio do lado de fora, melhorar o conforto térmico e aumentar a resiliência perante geadas, ventos fortes, chuva, neve, tempestades, furacões e inundações, a Zurich preparou um conjunto de dicas que se podem implementar, que agora reproduzimos. Algumas delas, não custam dinheiro e quase todas fazem poupar.

  • Escolher o sistema de aquecimento certo. Caso a habitação não inclua sistema de aquecimento, opta pela solução mais adequada à sua família, como piso radiante, bombas de calor, aquecimento central ou emissores térmicos. Considera sempre a dimensão da casa e os custos de instalação, mensais e de manutenção, na altura de escolher o seu sistema de aquecimento. Com a temperatura agradável dentro de casa, não vais precisar de andar com muita roupa e sentir-se-ás muito mais confortável.
  • Vedar portas e as janelas. Esta dica serve, por um lado, para impedir a entrada de correntes de ar frio e, por outro lado, para evitar que o calor saia de dentro de casa. Poderás fazê-lo utilizando uma fita isolante, um “chouriço”, ou tubos de espuma ou de borracha.
  • Utilizar papel de parede e prefira cores quentes. Mais do que uma opção decorativa, o papel de parede pode ajudar a manter uma temperatura mais elevada no interior da tua casa, uma vez que consegue retê-lo dentro de casa. Outra opção a considerar seria pintar as paredes com tons mais quentes, pois estes acumulam e preservam melhor o calor. Acima de tudo, estes tons ajudam a tornar a sua casa mais acolhedora e confortável para aproveitar a companhia de quem mais ama.
  • Aproveitar a luz solar. Mesmo durante o inverno, aproveita para usufruir da luz solar para aquecer a casa. Para isso, basta abrir as persianas e as cortinas pela manhã, manterem-se assim enquanto houver sol e, quando anoitecer, fechar tudo para impedir a entrada do frio. Desta forma, poderás saborear melhor os momentos de refeição em família, com a sala de jantar ou a cozinha mais aquecidas.
  • Colocar cada móvel no sítio certo. Uma vez que os objetos também conseguem reter o calor, a localização exata do mobiliário vai influenciar a temperatura do interior da casa. Algumas opções que pode seguir passam por: decorar as paredes com quadros, molduras e espelhos, que ajudam a manter o calor dentro de casa; decorar o chão com tapetes e carpetes; encostar móveis de pouca utilização às paredes exteriores, que são as mais frias; posicionar as camas e sofás junto das paredes interiores, onde a temperatura é sempre mais elevada. Dá destaque ao mobiliário com um significado especial, como peças que herdaste da família ou te foram oferecidas, para tornar cada divisão mais humana e afável.
  • Fechar bem as janelas em dias de tempestade. Sempre que se preveja vento e/ou chuva fortes é fundamental fechar bem os estores e as janelas para que não batam e, consequentemente, estalem ou partam.
  • Ter atenção à manutenção dos telhados e paredes exteriores. Para evitar o risco de infiltrações em períodos de mau tempo, importa verificar as telhas, placa e paredes que estão expostas aos elementos. Certifica-te que as telhas estão bem encaixadas e que a placa, paredes exteriores e telhas não apresentam fissuras. As calhas e ralos devem ser limpos regularmente, para permitir o escoamento da água da chuva.
  • Não te esqueças do exterior da habitação. Garante que a poda das árvores é feita amiúde, para evitar danos maiores em dias de vento forte. Protege, de preferência dentro de casa, objetos como mobiliário de exterior e churrasqueiras portáteis. Mantém a limpeza do quintal, para evitar que folhas e pequenos ramos caídos possam impedir o correto escoamento da água da chuva. Em zonas vulneráveis de cheias, considera colocar um anteparo de madeira ou metal à entrada da casa, cave ou rés-do-chão, para evitar a entrada de água.