Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

5 edifícios icónicos que não sobreviveram a 2013 (fotos e vídeo)

Autor: Redação

Foram admirados durante anos, mas o tempo passou e hoje deixaram de ser referência, perderam valor e importância. Caíram no abandono. No ano passado, cinco joias arquitetónicas mundialmente conhecidas foram vítimas da crise e, também, da modernidade urbanística. No seu lugar ergueram-se edifícios habitacionais, escritórios ou centros comerciais. Vê, em baixo, cinco edifícios icónicos que não sobreviveram 2013.

Estádio de San Mamés

Era o decano dos campos de futebol em espanha. O centenário Estádio de San Mamés foi demolido no verão, em junho, após o jogo entre o Athletic Bilbao com o Levante (1-0 para os visitantes). O seu lendário arco, construído em 1953, irá manter-se como recordação

San mames from Alvaro Arroyo on Vimeo.

Terminal 3 (Pan AM) do Aeroporto JFK, em Nova Iorque

O seu telhado, em forma de guarda sol, transformou-se num símbolo da idade de ouro da aviação comercial e num emblema daquela que foi a companhia aérea mais glamourosa e poderosa dos EUA, PAN American. Apesar dos esforços de várias organizações em manter esta memória histórica viva, não houve forma de salvar o terminar 3 do Aeroporto JFK, em Nova Iorque, que se transformou num parque para albergar aviões da companhia Delta.

5 Pointz, a meca do Grafiti

Durante mais de duas décadas foi local obrigatório de peregrinação para os artistas de rua. Este velho armazém de Long Island City, em Queens, Nova Iorque, foi demolido, mas tem lugar reservado na história. Agora será construído no local um complexo de apartamentos de luxo.

Astrodome de Houston

A chamada “oitava maraviha do mundo” foi o primeiro estádio fechado do mundo. Abriu portas em 1965 e foi a “casa”, durante anos, da equipa de basebol Houston Astros e da equipa de futebol americano Houston Oilers. Deixou de receber eventos em 2009 e os trabalhos de demolição já arrancaram.  

Teatro Emek de Istambul

A demolição deste teatro, construído em 1924, provocou uma autêntica batalha campal entre os manifestantes e a polícia, que terminou com pelo menos quatro pessoas detidas e várias feridas. Depois de fechar portas em 2010, este conceituado edifício, que acolheu durante 28 anos o Festival de Cinema de Istambul, foi vendido a um investidor privado, que construirá no local um centro comercial.

Artigo visto em
idealista news