Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Inquilinos de Nova Iorque e Los Angeles trocam centros das cidades pelas periferias

O teletrabalho e encerramento das atividades culturais e de lazer por causa da pandemia da Covid-19 está a provocar alterações no mercado de arrendamento.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

O aumento do teletrabalho em muitas empresas, juntamente com o encerramento de atividades culturais e de lazer nas áreas centrais de cidades importantes como Nova Iorque ou Los Angeles, estão a provocar mudanças no mercado de arrendamento. De acordo com a análise da consultora RealPage, as rendas caíram no centro das grandes cidades e subiram nas periferias.

É a primeira vez desde que esta consultora analisa os dados do mercado residencial dos EUA que as receitas dos arrendamentos nas zonas cêntricas e na periferia alcançaram as maiores diferenças. Enquanto os proprietários viram as rendas dos seus apartamentos nos centros urbanos caírem 1,4% face a igual período do ano anterior, nas zonas residenciais mais periféricas registaram aumentos de até 2,2%. As pessoas estão a deixar as grandes cidiades devido à possibilidade de teletrabalho e à perda de interesse por atividades culturais e de lazer paralisadas, além de bares e restaurantes fechados, de acordo com a RealPage.

As áreas metropolitanas com as maiores quedas anuais de arrendamento, em junho, foram San José (Califórnia), com uma queda de 14%, seguida pelos vizinhos São Francisco (-12%) e Los Angeles (-9,5%). Boston caiu quase 6% e a área de Nova Iorque caiu 2,5%.

Os centros urbanos perdem inquilinos para a periferia, que agora decidiram mudar-se para casas maiores fora da cidade, desde que possam trabalhar remotamente. Ao mesmo tempo, a procura de estrangeiros interessados ​​em arrendar em Manhattan, Miami ou São Francisco também desapareceu.

"Se restaurantes, bares e outras experiências culturais não estão abertas e operacionais, o apelo do estilo de vida urbano deixa de existir", afirma Greg Willett, economista-chefe da RealPage. "Uma das razões pelas quais as pessoas pagam rendas caras nesses mercados é por causa da experiência de vida".

Nova Iorque está a reabrir lentamente, com jardins zoológicos e jardins botânicos a abrir no final de julho, mas os restaurantes só permanecem abertos nos terraços. A Califórnia está a mudar de rumo após um aumento do número de casos de Covid-19, fechando bares, o interior de restaurantes, cinemas e outros negócios.