Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Arcádia soma já 26 “casas do chocolate” no país e vai continuar a investir

A loja histórica da marca no Porto, na Rua do Almada, foi agora renovada e vai ter produção de bombons e drageias ao vivo.

Facebook Arcádia
Facebook Arcádia
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

Foi durante décadas conhecida pelos bombons sortidos, línguas de gato de chocolate e pelas drageias de licor Bonjour e, apesar da notoriedade nacional e internacional que os produtos alcançaram, a existência física resumia-se à confeitaria Atneia, na Praça da Liberdade, e à loja de fábrica, na Rua do Almada, ambas na cidade do Porto. Falamos da Confeitaria Arcádia, que a par da grande aposta na inovação e no lançamento de novos produtos - como é o caso das trufas e bombons de vinho do Porto, das tabletes e dos macarons, que já são um sucesso de vendas -, avançou, nos últimos 12 anos, com um arrojado projeto de expansão das lojas em todo o país.

“Neste momento temos 19 lojas próprias, no Porto, Lisboa e Algarve, distribuídos pelo conceito de Casa do Chocolate e quiosques café nos shoppings, e sete lojas franchisadas em várias cidades”, conta ao idealista/news Francisco Bastos, administrador e o mais jovem representante da família que, em conjunto com o pai, João Bastos e a tia, Margarida Bastos, conduzem a nova era dos negócios da Arcádia. “Até ao final do ano temos prevista a abertura de mais seis espaços e vamos também inovar nos conceitos”, acrescenta.

Novo conceito de loja vai estrear na Praça Velásquez

A próxima abertura vai acontecer, em breve, na Praça Dr. Francisco Sá Carneiro, nas Antas, (mais conhecida por Praça Velásquez), e vai disputar os clientes de um dos cafés mais movimentados da praça - o café Velasquez. Sobre a nova “casa do chocolate”, Francisco Bastos destaca o facto de esta ser mais um desafio em termos de inovação. Será testado um modelo de ‘corner’, “dedicado aos produtos da Arcádia, e que funcionará dentro da confeitaria”, no qual a empresa irá investir 200.000 euros.

Mas as novidades não ficam por aqui. O conceito que foi até agora franchisado – os quiosques café – vai evoluir para espaços de confeitarias já nas próximas aberturas. É o caso dos dois espaços que vão abrir no ArrábidaShopping, em Gaia, e de um terceiro na praça premium. As restantes três aberturas vão acontecer em centros comerciais localizados na região do Porto e Lisboa.

Histórica loja da rua do Almada ganha nova vida

Para os portuenses, a loja de fábrica da Rua do Almada, na Baixa do Porto, simbolizará para sempre o percurso e a história desta marca, criada em 1933 por Manuel Pereira Bastos. Daí a necessidade urgente de avançar com uma intervenção que permitisse a renovação e a ampliação do espaço. Algo que acabou por concretizar-se no final de 2019, num investimento de 150 mil euros.

O processo durou vários anos, e passou pela candidatura ao projeto de apoio ao comércio tradicional levado a cabo pela autarquia, Porto de Tradição, destinado a ajudar nas obras de remodelação e modernização das lojas. A assinatura dos primeiros contratos – que incluiu a Arcádia – realizou-se na última segunda-feira, dia 27 de janeiro de 2020, e tinha um teto máximo de apoio de 25 mil euros.

A renovação do espaço é encarada  “como uma tributo à marca, à sua história, às gerações de trabalhadores da empresa e aos nossos clientes”, segundo as declarações de Francisco Bastos.

A loja, com um área total de 220 m2, inclui na entrada uma pequeno espaço dedicado à venda de produtos, mas grande parte destina-se a exposição. Foi ainda criada uma zona onde os clientes podem ver e apreciar a produção de bombons, ou mesmo participar no desenho das conhecidas drageias de licor. Em estudo está a possibilidade de abrir o espaço para a realização de workshops e para degustação, mas esses serão “projetos para desenvolver mais tarde”.

Produção concentrada em Grijó

Em 2019, a Arcádia produziu 73 toneladas de chocolate, 31 de produtos de pastelaria e 65 de amêndoa, quase tudo na unidade de Grijó, em Gaia. A partir deste ano, toda a produção ficará concentrada nesta fábrica, com a deslocalização do fabrico de amêndoas da Rua do Almada. A nova fábrica, referem os responsáveis, também está preparada para acompanhar o crescimento da produção exigido pela expansão das lojas.

No ano passado, a empresa apresentou vendas de oito milhões de euros, registando um crescimento de 12%, em relação a 2018. Para este ano, as estimativas apontam para um volume de negócios na ordem dos nove milhões.

Atualmente a Arcádia tem mais de 65 trabalhadores na área produtiva e cerca de 140 no retalho.