Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Centros comerciais temem “maior concentração de pessoas” devido às restrições de horário na AML

O Governo voltou a apertar o confinamento na Grande Lisboa, que continua a registar diariamente a maioria dos novos casos de Covid-19. Todas as lojas têm de fechar às 20h.

Photo by Sunyu Kim on Unsplash
Photo by Sunyu Kim on Unsplash
Autor: Redação

O Governo decidiu apertar as regras na Grande Lisboa para travar e mitigar o crescimento de novos casos de Covid-19 na região, e uma das restrições aplica-se aos espaços comerciais, que têm de fechar portas obrigatoriamente até às 20h00. A Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC) já reagiu à decisão, e apesar de compreender a preocupação do Executivo de António Costa, considera que as limitações de horário podem potenciar o efeito contrário e dar origem a “uma maior concentração de pessoas”.

“Compreendemos a preocupação do Governo e das autoridades de saúde em minimizar os riscos de ajuntamentos à margem das regras em vigor, mas reiteramos que os centros comerciais, pelas características da sua operação, e por cumprirem regras de limitação de entradas, não têm nem nunca tiveram ajuntamentos”, refere a associação, em comunicado, alertando para o facto da limitação do horário de funcionamento na Área Metropolitana de Lisboa (AML) poder “potenciar uma maior concentração de pessoas”. “Continuamos a criar fatores de incerteza com impactos negativos na operação dos centros, dos seus lojistas e na confiança dos visitantes”, frisa o presidente da APCC, António Sampaio de Mattos.

A associação lembra ainda que os centros comerciais “investiram milhões de euros para adaptar os seus espaços”, cumprindo não apenas as regras estabelecidas pelo executivo e as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), “mas também as melhores práticas desta indústria a nível global”. Segundo António Sampaio de Mattos, a reabertura total dos centros comerciais no dia 1 de junho em todo o país e a 15 de junho na AML, tem demonstrado que os centros estão perfeitamente preparados para funcionar segundo as regras determinadas pelo Governo e pela DGS.  

“Os centros comerciais estão operar com a limitação de um máximo de 5 visitantes por cada 100 m2 de área destinada ao público, o que dá total garantia de distanciamento social entre os seus visitantes; o tráfego tem sido compatível com as lotações máximas definidas por lei; as regras de distanciamento têm sido cumpridas; a utilização das instalações sanitárias tem sido feita com total respeito pela higienização e desinfeção", garante o responsável.