Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Dolce Vita Miraflores: Atena e White Sand Capital na corrida à compra do centro comercial

É a terceira vez que o ativo está no mercado, mas ainda não é certo que o negócio se concretize. Entidades ofereceram valores muito inferiores ao preço base fixado.

Dolce Vita Miraflores
Google Maps
Autor: Redação

O Dolce Vita Miraflores voltou ao mercado pela terceira vez, por 5,3 milhões de euros, mas ainda não é certo que a venda se concretize. Na corrida à compra deste centro comercial estão a portuguesa Atena (dona da Malo Clinic) e a White Sand Capital Portugal, sociedade controlada pelo empresário suazi Paul Friedlander (dono do atual Vida Ovar), e ambas ofereceram valores muito inferiores ao preço base fixado pela massa falida.

De acordo com o Jornal de Negócios, que avança a notícia, a Atena – que já tinha tentado comprar o centro comercial no verão passado – ofereceu 2,8 milhões de euros ao banco espanhol Abanca (credor hipotecário) pelo shopping. Já a White Sand Capital Portugal baixou a oferta para 2,4 milhões – da primeira vez que o Dolce Vita Miraflores foi à praça, tinha oferecido mais do dobro.

De acordo com fonte oficial da sociedade controlada pelo empresário suazi, citada pela publicação, o “ativo físico deteriorou-se e parece que há muito poucos compradores no mercado disponíveis para trabalhar na sua recuperação”, daí que tenha revisto em baixa a sua oferta.

Após duas tentativas de venda falhadas, o centro comercial continua na carteira do banco espanhol, e com um buraco de créditos que ascende os quase 36 milhões de euros. E ainda não se sabe se é desta que se fecha o negócio. Este shopping foi inaugurado em outubro de 2002 e foi o primeiro da marca Dolce Vita a abrir em Portugal. Tem uma área bruta locável de quase 6.000 metros quadrados e um parque de estacionamento com 300 lugares.