Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

O que mudou na carteira dos portugueses com a Covid-19 - entre rendimentos e gastos

Estudo revela que 51% dos portugueses teve uma redução (ligeira ou significativa) nos rendimentos do agregado familiar.

Xavi Cabrera on Unsplash
Xavi Cabrera on Unsplash
Autor: Redação

Os portugueses estão a sentir, e muito, o impacto da pandemia do novo coronavírus. Entre o final de março e o início de abril, metade dos consumidores disse ter tido uma quebra nos rendimentos, sendo que mais de um terço aumentou os gastos. Em causa está um relatório elaborado pela McKinsey sobre o impacto da Covid-19 no consumo em Portugal.

Segundo a Marketeer, que se apoia no referido inquérito, realizado entre 2 e 5 de abril, 51% dos portugueses inquiridos relatou uma redução (ligeira ou significativa) nos rendimentos do agregado familiar enquanto 48% disse não ter existido qualquer mudança. Isto nas duas semanas anteriores. O estudo concluiu ainda que, no período em causa, 32% dos consumidores disse estar a gastar menos, 31% o mesmo e 37% mais.

No que diz respeito às poupanças, 55% dos inquiridos disse que caíram nas duas semanas anteriores, 37% que se mantiveram e 8% que subiram.

Em que gastam ou planeiam gastar mais os portugueses? De acordo com a McKinsey, a maior parte da despesa é com compras de supermercado (+29%), artigos para casa (+9%) e entretenimento que possa ser consumido na segurança do lar (+6%).

“Por outro lado, as áreas onde os consumidores tencionam gastar menos dinheiro são Aventura & Tours (-97%), Voos Internacionais (-96%), Estadias em Hotéis/Resorts (-93%), Entretenimento Fora de Casa (-93%) e Restaurantes (-91%)”, lê-se na publicação.