Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Lisboa: Rota dos Mercados na calha para atrair mais turistas

Autores: Tânia Ferreira, @Frederico Gonçalves, Luis Manzano

O Mercado de Campo de Ourique e o da Ribeira, em Lisboa, estão interessados em cooperar na criação da chamada “Rota dos Mercados”. A ideia da parceria seria atrair, de forma conjunta, mais turistas a estes espaços recentemente renovados da capital e outros que venham a surgir em Lisboa ou em outros pontos do país. A Câmara Municipal está disponível para apoiar a iniciativa.

“Estamos abertos a todos os tipos de colaborações que possam valorizar a cidade e isso inclui, obviamente, a possibilidade de se vir a criar uma rota dos mercados”, afirma Catarina Ferreira, curadora do projeto da Time Out no Mercado da Ribeira, que abriu as portas pela mão da revista em maio passado.

“Acho que seria interessante pensarmos numa rota de mercados”, diz por sua vez Marta Costa, do departamento de marketing e comunicação do Mercado de Campo de Ourique, cuja abertura aconteceu em novembro de 2013.

Já o vereador da Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Lisboa, Manuel Salgado, frisa que a autarquia considera que “os mercados são peças importantíssimas na dinamização dos bairros” e garante que a autarquia “está disponível para dar todo o apoio possível”.

A competir pela atração de mais visitantes, as responsáveis pelos dois mercados rejeitam que os mesmos sejam concorrentes diretos.

Não vemos como concorrência a existência de outros mercados na cidade. Cada um tem a sua identidade própria. São mercados complementares com estratégias diferentes. E até há espaço para mais”, declara a porta-voz do Mercado da Ribeira.


(Vista geral do Mercado da Ribeira, no Cais do Sodré)

Uma ideia, de resto, partilhada pela responsável do departamento de comunicação do Mercado de Campo de Ourique, que considera que “a abertura do mercado da Ribeira foi positiva”. “Desde que eles abriram voltou a falar-se muito mais dos mercados. Voltou a trazer a vontade das pessoas visitarem os mercados e para nós isso é muito bom. Além disso, o público sabe ver as diferenças entre os dois conceitos”, remata Marta Costa.

Ribeira abre piso 1 e Campo de Ourique recupera quiosque na Estrela

De formas diferentes, as empresas que exploram estes dois mercados da capital continuam a trabalhar para fazer crescer os seus projetos.

No piso 0 do Mercado da Ribeira, que é o que está atualmente aberto, a Time Out optou por um conceito de gastronomia. “Gostamos de lhe chamar o primeiro projeto físico, feito a três dimensões, por uma revista”, explica Catarina Ferreira. Ou seja, todos os restaurantes que foram avaliados pela revista nos sete anos da sua duração, e tiveram a melhor avaliação, foram os convidados a instalar-se no mercado.

O quiosque no jardim e as esplanadas da Ribeira também fazem parte da concessão da Time Out. “O conceito do Mercado não se esgota, porém, no piso 0, em termos gastronómicos, porque temos também o piso 1. Este vai ter um destino mais cultural, onde vai existir uma sala de espetáculos que vai ser versátil, para concertos de música, dança, cinema e teatro. Vamos também ter uma loja que reflete o mercado, muito virada para Lisboa e para os turistas. E vamos ter ainda um restaurante, num conceito muito diferente do que existe no piso 0, um bar e a Time Out, que também se vai mudar para o primeiro piso do mercado”, revela a responsável ao idealista News PT.

Já a MCO, que explora o Mercado de Campo de Ourique, decidiu avançar com um novo projeto associado ao mercado. “Vamos explorar o quiosque no Jardim da Burra, junto à Basílica da Estrela. Estamos a finalizar o conceito, que será baseado no mercado, para abrir no meio do verão”, adianta Marta Costa. O novo quiosque do Mercado “vai ter um bocadinho de tudo o que o mercado tem. Está numa zona mais central e muito privilegiada a nível de turismo e vai servir como uma pequena montra do que é o mercado, para incentivar a vinda a Campo de Ourique”, esclarece a responsável.

Fotografias do Mercado de Campo de Ourique, o primeiro que foi renovado:

Fotografias do Mercado da Ribeira, no Cais do Sodré, que também foi reabilitado: