Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Compras de Natal: como agir sem arruinar o teu orçamento

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Artigo escrito por João Raposo (joao.raposo@reorganiza.pt), partner da Reorganiza, para o idealista News Portugal, no âmbito da rubrica "Trocado por Miúdos".

Estamos a aproximar-nos do tempo em que a alegria parece acalentar o frio desta época e que de alguma forma conseguimos esquecer as crises e dificuldades do quotidiano. A palavra “crise” é substituída por “alegria” e ainda bem que assim é! A época natalícia parece ter este poder transformador de nos deixar com melhor cara, pois todos queremos que seja um tempo de festa e de proximidade com a família. Como é próprio destes encontros é também o tempo de presentar aqueles que nos são mais queridos, o que pode significar um aumento das nossas despesas.

Sabias que os portugueses estão a gastar mais neste ano nas compras de Natal? 

Quando confrontados com a expectativa de gastos para o Natal, a média dos portugueses respondeu que iriam gastar 270 euros por agregado familiar, o que seria um valor abaixo do registado no ano passado (estudo da consultora Deloitte).

Curiosamente, observando os números que já temos conhecimento por parte da SIBS os portugueses gastaram, em compras por multibanco, na última semana de novembro mais 2,3% do que no ano passado. O valor médio em cada compra está nos 41 euros. Porque será que gastamos mais do que aquilo que esperamos?

Para evitar surpresas no orçamento dedicado às compras de Natal deves ler estes conselhos que te ajudarão a preparar para este tempo.

1 - Lista de presentes
Antes de começares as compras de Natal faz uma lista rigorosa de quem tens mesmo de dar um presente, pois acontece a muitos portugueses cair na tentação de comprar uma “gracinha” para mais alguém que não se tinha lembrado. O apelo dos comerciantes é muito eficaz, o que faz com que compremos mais do que realmente precisamos.

2 - Presentes feitos à mão
Parece que nos fizeram acreditar que um presente tem de ser algo comprado numa loja e que venha embrulhado num bonito papel (e se for de uma marca de prestígio ainda melhor!). Mas por que razão é menos valioso oferecer alguma coisa na qual puseste o teu esforço pessoal? Com materiais reutilizados e alguma criatividade podemos oferecer lembranças de Natal a toda a nossa família e amigos.

3 - Comparar preços
Felizmente que vivemos num mundo cada vez mais tecnológico onde as marcas comunicam os preços sem termos de ir diretamente à loja. Por isso, se já sabes o que vais oferecer procura antes na net quais os locais com preços mais baixos. Não vá acontecer comprar algum produto que num lugar diferente esteja em promoção.

4 - Reduzir custos de transporte
Se conseguires ter a lista de tudo o que queres oferecer e já tiveres descoberto os melhores locais para comprar, procura tratar de tudo numa única vez. De nada serve encontrares um produto mais barato se isso implicar maiores gastos de combustível e/ou estacionamento. A este nível também deves considerar as vantagens das compras online. Cada vez são mais os portugueses que recorrem a estes canais, pois geralmente é uma boa forma de reduzir custos.

5 - Fugir das compras a crédito
Não poder comprar os produtos topo de gama não é vergonha para ninguém. Se não tens possibilidades de oferecer algo que querias muito, não recorras ao cartão de crédito. Se não podes hoje, por que motivo irás poder pagar no futuro acrescido de juros associados? 

Estas sugestões na forma de atuar irão ajudar-te a teres maior controlo sobre o dinheiro. A sociedade do consumo em que vivemos faz-nos acreditar que temos poderes que realmente não temos e que as necessidades podem ser todas satisfeitas. Mas a verdade é que quanto mais domínio tiveres sobre o teu dinheiro menos dores de cabeça vais ter de suportar. Não sejas mais um que em janeiro faz contas à vida e pergunta: “Mas para onde foi parar o meu dinheiro?”.