Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Bolsa: sabes qual é a diferença entre um investidor e um especulador?

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Artigo escrito por João Raposo (joao.raposo@reorganiza.pt), partner da Reorganiza, para o idealista News Portugal, no âmbito da rubrica "Trocado por Miúdos".

O mercado bolsista anda animado com as quedas vertiginosas por escândalos na gestão de “pesos pesados” do PSI 20 (que depois da falência do Grupo BES já não tem 20 empresas, mas sim 18) ou por ofertas públicas de aquisição de grandes grupos empresariais estrangeiros sobre empresas nacionais. 

Todas estas alterações podem levar as pessoas a ganharem muito dinheiro ou, na mesma proporção, a perderem muito dinheiro. As oscilações da bolsa são motivadas pelas mais diversas razões. Às vezes basta um boato para que o valor de uma ação caia vertiginosamente. Por isso, se tiveres dinheiro para aplicar na Bolsa é melhor teres as noções corretas de onde estás a movimentar.

Deverás ter presente que na Bolsa não se joga. Embora em Bolsa estejas a fazer uma aplicação do teu dinheiro com base em expectativas e por isso seja sempre imprevisível, a verdade é que não deves encarar como se de um jogo se tratasse. A expressão “jogar na Bolsa” é muito perigosa e dá um sinal errado daquela que deve ser a postura perante este tipo de aplicações.  

Costuma-se dividir em duas classes aqueles que aplicam dinheiro em Bolsa. Existem os que são investidores e os que são especuladores, sendo que há alguns que são ambas as coisas. 

Qual a diferença entre um investidor e um especulador?

A primeira diferença entre os investidores e os especuladores está no horizonte temporal com que encaram a Bolsa. Os investidores olham para o mercado com um horizonte de tempo de longo prazo e acreditam na máxima que no longo prazo as ações são o investimento mais rentável. Outra diferença considerável está na forma como encaram o risco. Os investidores assumem um nível moderado de tolerância ao risco. São pessoas que vivem confortavelmente com oscilações dos valores na sua carteira porque não são totalmente avessos ao risco. Quem não está disposto a correr risco com o dinheiro não deve pensar em investir na Bolsa

Um investidor procura ter na sua carteira uma combinação adequada de ativos que procuram estar em harmonia com os riscos que está disposto a assumir. A diversificação é palavra de ordem, pois o investidor sabe que “pôr os ovos todos no mesmo cesto” é uma atitude que pode causar danos irreparáveis. Em geral, os investidores são pessoas que fogem das franjas do risco e que procuram uma abordagem equilibrada, devido à sua perspetiva moderada do retorno do investimento.

Por outro lado, os especuladores costumam aplicar o dinheiro diariamente e estão dispostos a acompanhar a evolução dos seus investimentos praticamente 24 horas por dia. São pessoas que estão muito bem informadas e que costumam ter fontes que antecipam as notícias que chegam ao comum dos portugueses. Muitos investem em setores particulares e fazem transações diárias de produtos mais complexos do que as comuns ações. Os especuladores estão no mercado numa perspetiva de curto prazo para alcançar resultados rentáveis. O que implica que o especulador tenha grande disponibilidade de dinheiro, atenção permanente ao mercado, informação e uma capacidade de viver com stress da incerteza. Os que se enquadram nos especuladores estão sempre a entrar e a sair do mercado mediante as suas perceções ou análises específicas. 

Quando quiseres aplicar dinheiro na Bolsa não o faças como uma aposta solitária. Define o teu perfil e os riscos que estás disposto a correr. Lembra-te que quando estás a comprar alguma ação é porque alguém a está a vender e esse “alguém” também tem as suas razões para o fazer.