Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Venda dos Tivoli aos tailandeses da Minor concluída este ano, apesar do arresto de bens

Autor: Redação

Os ativos da rede Tivoli estão arrestados pelo tribunal, mas isso não vai impedir a conclusão da venda em curso dos hotéis que eram do Grupo Espírito Santo. Os novos donos são o grupo tailandês Minor International (MINT), que já têm a propriedade de quatro imóveis e pretendem concluir o processo de compra das restantes unidades hoteleiras até ao final deste ano.

O negócio depende agora da luz verde do tribunal para levantar a apreensão decretada pelo Ministério Público, segundo noticia hoje o Sol.

O semanário escreve que apesar do arresto a MINT acredita poder concretizar nos próximos meses a compra dos hotéis que ainda não detém.  

No início do ano, os tailandeses compraram, por 168 milhões de euros, o Tivoli Lisboa, Marina Vilamoura, Marina Portimão e Carvoeiro -, bem como o ecoresort na Praia do Forte e a exploração do Tivoli São Paulo Mofarrej, ambos no Brasil. 
 
Agora, o grupo tailandês revela no relatório semestral, citado pelo Sol, que "a transacção para adquirir as restantes oito propriedades da Tivoli, juntamente com a marca e a plataforma da operação dos 12 hotéis em Portugal, deverá estar concluída antes do fim do ano, permitindo à MINT reajustar os benefícios totais do portefólio e da marca no futuro".  
 
Em meados de maio, e no âmbito de um Processo Especial de Revitalização em curso, Alexandre Solleiro - que saiu da Tivoli em julho - apresentou aos credores da empresa um plano de recuperação.

A Minor propunha então pagar 82,5 milhões de euros para assumir os oito hotéis restantes, além de ficar com o passivo e liquidar os créditos e responsabilidades existentes.

Esta era a única proposta para salvar a Tivoli, detida pela Rioforte, da falência, mas a posterior apreensão de bens do universo Espírito Santo decretada pelo Ministério Público, que incluiu cinco hotéis Tivoli (Jardim, Sintra, Coimbra, Victoria e Lagos), veio atrasar o processo. 
 

Em 2014, a Tivoli teve prejuízos de 13 milhões de euros.