Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Avaliação bancária de casas em máximos históricos: 1.247 euros por m2

Autor: Redação

O valor da avaliação bancária das casas – atribuído para efeitos de concessão de crédito à habitação – tem vindo a subir mês após mês em Portugal, tendo atingido em março os 1.247 euros por metro quadrado (m2), o valor mais elevado desde que há registo (2002). Trata-se de um aumento mensal de 8 euros e homólogo de 80 euros.

“O valor médio de avaliação bancária foi 1.247 euros em março, mais 8 euros que o observado no mês precedente. Este valor representa um aumento de 0,6% relativamente a fevereiro e de 6,9% face ao mesmo mês do ano anterior”, conclui o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo as contas do Jornal de Negócios, o valor de março foi o mais elevado de sempre, isto é, desde o quarto trimestre de 2002. O anterior recorde – 1.245 euros por m2 – tinha sido atingido no quarto trimestre de 2006.

No caso dos apartamentos, o valor médio da avaliação bancária subiu 10 euros por m2 num mês, em março face a fevereiro, e 102 euros por m2 num ano, quando comparado com março de 2018, segundo dados revelados pelo INE.

Também as moradias ficaram mais caras (para os bancos). Em março, o m2 valia 1.128 euros, mais 3 euros que em fevereiro e mais 51 euros que no período homólogo.  

Em termos geográficos, “em março, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa (AML), a Região Autónoma da Madeira, o Alentejo Litoral, e a Área Metropolitana do Porto apresentaram valores de avaliação superiores à média nacional (37%, 27%, 10%, 5% e 3% acima do registado para o país, respetivamente)”. “A região da Beira Baixa foi a que
apresentou o valor mais baixo em relação à média nacional (-30%)”, conclui o INE.

De referir que é no Algarve que o preço por m2, para os bancos, é mais elevado, com um apartamento a valer 1.665 euros. Na AML, por exemplo, o m2 está avaliado em 1.523 euros.