Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Guerra de spreads já arrancou este ano: Eurobic corta margem para 1,1% nos empréstimos da casa

Banco liderado por Teixeira dos Santos entra na corrida para tentar angariar mais clientes de crédito à habitação.

Photo by Philipp Berndt on Unsplash
Photo by Philipp Berndt on Unsplash
Autor: Redação

Desde 2015 que os bancos em Portugal têm vindo a degladiar-se no mercado do crédito à habitação, oferecendo spreads mais competitivos. Cada vez há mais instituições financeiras com margens mínimas próximas ou iguais a 1% nos empréstimos para a compra de casa e agora foi a vez de o Eurobic atualizar o preçário, com uma revisão em baixa, de 1,2% para 1,1%.

Bankinter e Santander Totta, têm atualmente as taxas mais baixas em vigor - ambos de 1%, mas com condições distintas, para que se possa beneficiar. Seguem-se o BCP e o Banco CTT, com quem agora o Eurobic iguala a oferta de 1,1%. Já o Montepio está nos 1,175%.

O Novo Banco continua a ser o banco com a taxa mais elevada, de 1,25%, seguido pela CGD, que, apesar da redução aplicada no ano passado, cobra uma taxa de 1,23%. Já o BPI e Crédito Agrícola estão no meio da tabela, oferecendo um "spread" de 1,2%.

Num contexto de taxas de juro historicamente baixas, mesmo negativas - que se perspetiva continuar beneficiando quem tem empréstimos - a banca continua a ter incentivos a conceder crédito, nomeadamente para a compra de casa, apesar dos recorrentes alertas de risco para o sistema financeiro, por parte dos reguladores.

Prova disso mesmo é que o financiamento para a compra de casa continua a aumentar. Entre janeiro e outubro do ano passado, o total do novo crédito à habitação concedido atingiu os 8,5 mil milhões de euros, segundo os últimos dados disponíveis.