Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal tem a 16ª carga fiscal mais alta da OCDE

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Portugal melhorou a posição no ranking de países da OCDE com maior carga fiscal sobre o trabalhador, mas está ainda entre aqueles onde a tributação do trabalho mais cresceu, e se manteve, no período após a crise de dívida europeia.

A carga fiscal média sobre o trabalhador solteiro português foi, em 2017, de 27,5%, a 16ª mais elevada da OCDE, segundo os dados revelados pela organização

De acordo com o Diário de Notícias, que se apoia nos referidos dados, em 2016, Portugal ocupava o 15º lugar, com uma carga fiscal de 27,75% para o mesmo tipo de contribuinte. 

De referir, no entanto, que a carga fiscal total sobre o trabalho (incluindo as contribuições dos empregadores para a Segurança Social) baixou para 41,4%, o que deixa Portugal no 13º lugar do ranking.

Em jeito de conclusão, a carga fiscal média portuguesa mantém-se 2% acima da média da OCDE, escreve a publicação, salientando que os trabalhadores portugueses entregaram no ano passado à administração fiscal impostos e contribuições 5,28% acima dos montantes de 2010. Um aumento que compara com uma descida de 0,64% em Espanha e com subidas de 2,73% na Grécia e de 0,68% na Alemanha, por exemplo.

A tributação média dos trabalhadores em Portugal está agora ao nível da de 2013, encontrando-se a descer desde 2015 – na OCDE, a média é de 25,5%.