Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reembolsos do IRS: pagamentos mais cedo, mas com valores mais baixos

A campanha de IRS, referente aos rendimentos do ano passado, arranca já esta quinta-feira, dia 1 de abril de 2021.

Pexels
Pexels
Autor: Redação

É já esta quinta-feira, dia 1 de abril, que arranca a campanha de IRS 2021, referente aos rendimentos do ano passado, sendo que os contribuintes terão três meses, até 30 de junho, para entregar a declaração anual ao Fisco. Ao tudo indica, os reembolsos do IRS vão chegar mais cedo que em 2020, mas os valores serão mais baixos.

Em 2019, os reembolsos começaram a ser processados em menos de 10 dias depois do arranque da campanha, mas em 2020, e por causa do contexto aprovocado pela pandemia, o Governo não se comprometeu com reembolsos rápidos. No ano passado, o Fisco começou a processar os primeiros reembolsos 21 dias depois de ter arrancado o prazo da entrega da declaração, mas conseguiu estabilizar e acelerar o ritmo de pagamentos pouco tempo depois, tal como o idealista/news noticiou.

Fonte do Ministério das Finanças garantiu ao Jornal de Negócios que, este ano, os reembolsos vão chegar mais cedo, uma vez que a capacidade de resposta dos serviços já está mais ágil. “Os serviços já estão todos mais rotinados, pelo que a expectativa é que os reembolsos comecem mais cedo”, refere em declarações à publicação, sem se comprometer com datas concretas.

Ainda assim, os valores devem ser mais baixos. Recorde-se que os reembolsos são condicionados pelos valores das deduções à coleta a que cada agregado tem direito, e a verdade é que os contribuintes validaram menos faturas este ano (até por causa do contexto de pandemia), o que quer dizer que deverá haver uma redução dos valores a receber. Segundo dados do Correio da Manhã, que cita o Ministério das Finanças, os contribuintes validaram no e-fatura menos 66 milhões de faturas – uma diminuição de 5% face a 2019.