Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

UE inclui Macau na "lista negra" dos paraísos fiscais

Macau (Ásia) / Gtres
Macau (Ásia) / Gtres
Autor: Redação

A União Europeia (UE) aprovou esta terça-feira (5 de dezembro), em Bruxelas, a “lista negra” de 17 paraísos fiscais que, por serem consideradas jurisdições não cooperantes em matéria fiscal, podem vir a enfrentar sanções caso não aumentem os seus padrões de controlo e transparência. Macau, Tunísia e Panamá são alguns dos países que constam da lista divulgada na sequência da reunião dos ministros das Finanças da UE.

A “lista negra” inclui os seguintes países: Samoa Americana, Bahrein, Barbados, Granada, Guão, Coreia do Sul, Macau, Ilhas Marshall, Mongólia, Namíbia, Palau, Panamá, Santa Lúcia, Samoa, Trindade e Tobago, Tunísia e Emirados Árabes Unidos. Além desta lista de 17 nações foi ainda criada uma lista “cinzenta” de outras 47 jurisdições (na qual se encontra Cabo Verde) que se comprometeram a cumprir os critérios exigidos e que serão, depois, reavaliadas.

“Queremos que esta lista seja completa e eficaz. Nenhum estado deve escapar às responsabilidades se não combater eficazmente a evasão fiscal”, disse o ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, à entrada da reunião. “A lista tem de ser eficaz, o que quer dizer que tem de nos permitir imprimir sanções para quem não respeite as regras mude o seu comportamento”, acrescentou ainda o ministro, citado pelo Jornal Económico.