Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reembolsos de IRS são 10% mais baixos do que no ano passado

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Por esta altura alguns contribuintes já começaram a receber os reembolsos do IRS, com algum atraso, se comparado com o ano passado, face ao contexto gerado pela pandemia do novo coronavírus. E ao que tudo indica, este ano as famílias portuguesas vão receber, em média, reembolsos 10% mais baixos do que em 2019.

Já era de esperar este cenário em 2020, de reembolsos mais baixos, e isto deve-se à aproximação das tabelas de retenção na fonte aos escalões do ano passado. Segundo as simulações da Deloitte, para o Jornal de Negócios, as perdas são generalizadas, mas mais acentuadas para quem tem rendimentos mais elevados.

A consultora dá o exemplo de um contribuinte solteiro, sem filhos e com rendimentos anuais de 42 mil euros (3.000 euros por mês) que, este ano, vai receber 1.104 euros de reembolso, ou seja, menos 168 euros do que no ano passado (menos 13%). No caso de dois contribuintes casados, com dois filhos e com rendimentos anuais de 14 mil euros por titular vão receber 649 euros de reembolso de IRS, menos 28 euros (ou 4%) do que o devolvido no ano passado.

Sem surpresa, os reembolsos serão mais baixos em 2020, uma vez que em 2019 não houve alteração das taxas finais de IRS, mas houve uma redução das taxas de retenção na fonte mensais”, confirma Luís Leon, da Deloitte, citado pela mesma publicação.  

Desde o arranque da campanha do IRS – teve início a 1 de abril e termina a 30 de junho -  que já foram submetidas quase 2,6 milhões de declarações.