Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal fora do euro: "Seria uma catástrofe para a população"

Autor: Redação

O presidente do Conselho Económico e Social (CES) resolveu lançar o alerta e dar dois avisos claros ao Partido Socialista (PS), que está a liderar o Governo de Portugal. Por um lado, diz Luís Filipe Vieira, o consumo não está a puxar a economia e o investimento está em queda. Por outro lado, negociar à esquerda esvazia a concertação, segundo considera o gestor.

Em entrevista à TSF, o presidente do CES afirma que a procura interna "não tem tido o papel que se pensaria". É "preocupante termos níveis tão baixos de investimento". E é preciso "criar contexto para dar confiança e trazer investimento". Tudo isto "só se faz no contexto europeu" - e daí que seja "preocupante" o discurso do PCP e Bloco contra a Europa.

"Há partidos que não querem a Europa, não querem o euro, querem algo que, se olharmos para trás, a maioria da população votou sempre contra isto."

Dizendo à rádio que o país está "sempre a olhar para as consequências e nunca para as causas dos problemas", Luís Filipe Pereira dá a nota para o Governo: "Temos de ser mais competitivos, porque estamos num mundo global." E as reversões de políticas não ajudam a criar esse contexto - desde logo a suspensão da descida do IRC.

O empresário revela, segundo noticia a TSF, que está disposto a esperar que PS e PSD se entendam sobre quem vai liderar o CES, agora que o seu mandato terminou. Mas não vai ficar à espera parado: lançou um debate sobre a Segurança Social, tema em que os dois partidos "estão obrigados a entender-se".