Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Quase mil novos apartamentos às portas de Lisboa. Parque dos Cisnes à venda por 125 milhões

Público
Público
Autor: Redação

O loteamento Parque dos Cisnes, em Miraflores, às portas de Lisboa, está no mercado e tem um preço definido: 125 milhões de euros. A Parvalorem S.A., escolhida pelo BCP – proprietário do loteamento – para proceder à sua comercialização,indicou que este valor contempla os 23 lotes de terreno para edificação (21 de habitação e dois de uso terciário) que compõem o empreendimento, cuja área bruta de construção acima do solo ascende a mais de 171.000 m2. Ao todo estão em causa cerca de mil novas casas.

Segundo o Público, que cita a Parvalorem S.A, já foram realizados “os primeiros contactos exploratórios para colher a sensibilidade do mercado a esta oportunidade de investimento”, sendo que numa primeira fase, serão “privilegiadas as propostas de aquisição que compreendam a totalidade dos lotes”.

O potencial de vendas deste empreendimento ascende a cerca de 449 milhões de euros, de acordo com as contas da Parvalorem S.A, que estima um preço médio de venda de 3.000 euros por m2 para o produto residencial e de 2.280 euros por m2 para as áreas de comércio e serviços.

O Parque dos Cisnes prevê a edificação de 952 fogos em 21 edifícios, os quais incluem uma componente de comércio/serviços no embasamento. A oferta do empreendimento habitacional é complementada por dois edifícios destinados a usos terciários, que poderão acolher hotelaria ou escritórios, escreve a publicação, salientando que no total a área bruta de construção acima do solo ascende a 171. 881 m2, dos quais 142.019 m2 são de habitação.

Para Ramiro Gomes, da Direção de Negócio Imobiliário do BCP, o Parque dos Cisnes poderá “contribuir para colmatar a falta” de habitação nova em Lisboa e nas zonas limítrofes da capital.

De referir que este loteamento encontra-se localizado a apenas seis quilómetros do centro de Lisboa numa zona com excelentes acessos, no Casal das Romeiras, em Miraflores. “A expetativa é que este produto se destine maioritariamente ao segmento de famílias, tanto na ótica da compra como do arrendamento”, adiantou a Parvalorem S.A.”.  

O projeto prevê a existência de 240 lugares de estacionamento público, além dos mais de 2.800 lugares privados para residentes, e há luz verde para a construção dos edifícios. Estima-se que o desenvolvimento imobiliário possa ocorrer em “três fases, iniciando-se a construção da seguinte logo que esteja comercializada uma parte significativa da fase anterior”, num processo que, no total do empreendimento, não deverá ser superior a dois anos.