Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Supervisores temem que REIT façam disparar preços dos imóveis

Kévin Langlais/Unsplash
Kévin Langlais/Unsplash
Autor: Redação

O mercado imobiliário está quente e corre o risco de “sobreaquecer”. O Conselho Nacional de Supervisores Financeiros (CNSF) teme que a “luz verde” à criação das sociedades de investimento e gestão imobiliária (SIGI) em Portugal – vulgarmente conhecidas por REIT (Real Estate Investment Trust) – possa trazer o risco de "aumentos excessivos" nos preços dos imóveis.

"A introdução das SIGI em Portugal, ao fomentar a procura de imóveis, poderá acarretar o risco de contribuir para o aumento excessivo dos preços no mercado imobiliário e, consequentemente, para uma correção/redução abrupta desses mesmos preços no futuro", lê-se num parecer entregue pelo CNSF ao Governo, citado pelo Dinheiro Vivo. O CNSF é composto por representantes do Banco de Portugal (BdP), Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e pela Autoridade de Supervisão de Seguros (ASS).

No documento entregue ao Executivo, em agosto do ano passado, os supervisores pediam prudência e “uma abordagem preventiva”, face aos “riscos associados a um potencial sobreaquecimento do mercado imobiliário”. Apesar disso, os supervisores reconhecem vantagens à chegada dos REIT a Portugal, como “instrumento de investimento transparente e suscetível de dinamizar o mercado de capitais”.

Segundo o decreto-lei, já publicado em Diário da República, 1 de fevereiro (sexta-feira) é a data a partir da qual estas sociedades podem dar início à atividade. As SIGI surgem como veículo de promoção do investimento e têm a particularidade de serem cotadas em bolsa, de concentrarem o investimento maioritariamente em ativos imobiliários para arrendamento de longa duração e de terem uma regulação mais branda.