Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Falidos Dolce Vita Ovar, Miraflores e Central Park vendidos por 17 milhões a 3 diferentes compradores

Photo by Robin Spielmann on Unsplash
Photo by Robin Spielmann on Unsplash
Autor: Redação

Estão encontrados novos donos para os últimos e falidos centros comerciais Dolce Vita em Portugal. O shopping em Miraflores foi comprado pelo fundo europeu Garrison Capital Management & Properties, o Central Park, de Oeiras, pelo Fundimo, da Caixa Geral de Depósitos (CGD), sendo que o de Ovar deverá ficar nas mãos do grupo Kirsh. As vendas deverão render 17,3 milhões de euros.

O Dolce Vita Miraflores, que tinha sido colocado à venda por um mínimo de 5,385 milhões de euros, foi arrematado pelo Garrison por 6,8 milhões, segundo fontes oficiais do gabinete do gestor judicial e da Clearwater, entidade que intermediou toda a operação, citadas pelo Negócios. Já o Fundimo, do banco estatal, propôs 2,675 milhões pelo Central Park, mais 1,225 milhões do que o valor base estipulado.

O centro comercial localizado em Ovar deverá passar para a alçada de um magnata africano. O shopping recebeu uma única proposta, nomeadamente da White Sand Capital, ligada ao grupo do bilionário Nathan Kirsh. A sociedade ofereceu 7,8 milhões pelo centro comercial, à venda por 8,3 milhões. A comissão de credores da Sportsforum, sociedade detentora do centro comercial, ainda terá de pronunciar-se sobre a operação, uma vez que o valor oferecido ficou abaixo do valor base estipulado, mas prevê-se que adjudicação aconteça.

O banco espanhol Abanca, herdeiro das operações do Novacaixagalicia, pediu a insolvência dos três centros comerciais no início de 2018 e é o principal cedor hipotecário, com créditos de 50 milhões nos falidos shoppings. No caso do Dolce Vita Ovar, o Abanca reclama créditos de 21,8 milhões.